Foram dez os projetos de inovação social da Região Norte apresentados no Auditório Municipal de Lousada, na quinta-feira, 9 de novembro. Num total de 429 candidaturas e 10 concursos, foram aprovadas 277, representando um investimento de 37 milhões de euros, e destes 17 milhões provenientes de investidores sociais, como empresas e municípios.

Perante uma plateia completa, António Cunha, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte mostrou-se “satisfeito” pela “evidência de que as respostas sociais estão no centro das políticas de desenvolvimento regional” e, por outro lado, mostra “a experiência relevante em práticas de inovação social partilhada com poderes públicos, municipais, empresas”, sendo uma “garantia do futuro” no domínio da inovação social.

Perante os dados apresentados na sessão, António Cunha afirmou que será necessário que “a experiência seja aprofundada e estendida”, alargando-a na sua “eficiência e a outros territórios”.

Futuramente, o Norte 2030 “continuará a apoiar a inovação social, seja através da estrutura Portugal Inovação Social, seja através de ações específicas de participação ativa e igualdade de oportunidades e não discriminação de grupos vulneráveis promovidas por entidades intermunicipais”, garantiu ainda.

Partilhando a opinião da importância do investimento na inovação social, a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, destacou a “intenção de levar para a política pública aquilo que achamos que já são práticas que foram testadas e que deram resultado”.

Alargando a análise do investimento à escala nacional, Ana Abrunhosa referiu que “Portugal foi o primeiro país da União Europeia a mobilizar fundos estruturais europeus para uma entidade dedicada, exclusivamente, à inovação social” e é, portanto, ao nível da inovação social “uma referência e um caso de sucesso dentro e fora do Europa”.

Um trabalho que, para Ana Abrunhosa, resulta de “décadas de investimento e trabalho que nos destaca, mas que também nos traz responsabilidade acrescida de mantermos a continuidade das políticas e iniciativas implementadas. Temos de continuar a ser um laboratório para testar novas soluções”, frisou, afirmando ainda que “o Norte é das regiões mais dinâmicas a todos os níveis e na inovação social não é exceção”.

No âmbito da inovação social Pedro Machado, presidente da Câmara Municipal de Lousada, destacou alguns projetos implementados no concelho e apontou para aqueles “que mereciam alguma reflexão para se tornarem respostas formais, porque com poucos recursos conseguimos criar soluções mais adequadas aquilo que são as verdadeiras necessidades do território”.

O evento foi promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte e pela Estrutura de Missão Portugal Inovação Social (EMPIS).