Miguel Oliveira deixa KTM após quatro anos e ingressa no ano de 2023 na Aprilia RNF, com um contrato de dois anos. O piloto considera que tomou “uma passo na direção certa”. 

O anúncio foi realizado esta terça-feira, dia 30 de agosto, pela equipa malaia, que se estreou em 2022 no campeonato da Moto GP, em parceria com a Yamaha, tendo, a partir do próximo ano, acordo com a Aprilia. 

A par de Miguel Oliveira, juntam-se à equipa Aprilia os espanhóis Maverick Viñales e Aleix Espargaró, informam os meios de comunicação nacionais.

Foto: Miguel Oliveira

“Todas as mudanças requerem esperança. Foi um pouco nessa vertente que decidi abraçar um novo projeto. O meu percurso na KTM não foi curto, consegui conquistar dois vice-campeonatos. O maior passo foi dado com eles. É um percurso com que me orgulho”, afirmou o piloto em conferência de imprensa esta terça-feira.

“Este ano, de 2022, foi um ano de abertura e de muitas oportunidades. Procurei sempre garantir que me enquadrava com a KTM para o futuro, mas, ao longo das negociações, percebemos que os caminhos podiam separar-se. Só tenho a agradecer à KTM o esforço que fizeram. É o passo que necessito para a minha carreira”, acrescenta Miguel Oliveira. 

“Conseguimos garantir dois talentos extraordinários, dois pilotos que respeito muito, tanto do ponto de vista humano como pelas suas capacidades técnicas. Miguel mostrou o seu talento em todas as categorias. Embora ainda muito jovem, já acumulou muita experiência, vencendo quatro corridas de MotoGP, por vezes com prestações dominantes”, referiu Massimo Rivola, CEO da Aprilia Racing​.

O piloto de 27 anos, natural de Almada, junta quatro vitórias e seis pódios nos palmarés e vai assegurar a quinta temporada do Moto GP.

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.

Pode ler outras notícias sobre Miguel Oliveira: