“Mais respeito e mais justiça pelas carreiras” é o protesto de vários professores do Agrupamento de Escolas de Alpendorada que esta segunda-feira, dia 12 de dezembro, se encontram à porta da escola em manifestação.

Bárbara Tavares é uma das professoras presente na manifestação e que em declarações ao Jornal A VERDADE afirma que o objetivo do protesto é “fazermo-nos ouvir perante a comunidade e os encarregados de educação. Achamos que está na hora, enquanto professores, de mostrarmos que devemos ser mais respeitados, que os nossos governantes precisaram de nós sempre, sobretudo durante a pandemia, e que cada vez mais se vão esquecendo do que fazemos diariamente”.

Nesse sentido, o grupo exige “mais respeito e mais justiça pelas nossas carreiras, porque só assim conseguiremos desempenhar, com qualidade, aquela que é a nossa principal função, chegar a todos os alunos”, frisa.

A greve foi iniciada na sexta-feira, dia 9 de dezembro, e de acordo com Bárbara Tavares “estão previstas várias ações de luta até ao final desta semana”.

A manifestação alarga-se a nível nacional, por uma classe profissional que aguarda “alguma reação dos governantes. Neste momento, acho que ainda estão à espera para ver onde isto vai parar. O certo é que nós não vamos parar”, garante.

São cerca de 30 os professores que se encontram em manifestação, à porta da Escola Secundária de Alpendorada, e “há vários colegas que estão em casa porque são de longe, mas também estão em greve. Os professores são fundamentais para que a que a escola possa ter as condições de funcionamento”, conclui.