No passado fim de semana, o Team Bianchi Prata Honda esteve em destaque no Raid de Góis, na segunda prova do Campeonato Nacional de TT.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

Gustavo Gaudêncio ficou em segundo na Geral: “Aproveitamos bem esta segunda prova do CNTT22. Fomos segundo na geral durante os dois dias de prova. Correu tudo normal e foi muito importante para o campeonato. Obrigado a todo o Team”.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

O piloto de Marco de Canaveses Fábio Magalhães venceu a categoria TT1, aos comandos de uma Honda CRF250RX, informa um comunicado da equipa. “Objetivo cumprido! Para este Raide TT Gois tínhamos objetivos bem definidos que era trazer para casa a vitória em TT1 e, assim, aumentar a vantagem pontual na classificação do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. Primeira dia muito atarefado e muita coisa a melhorar mas mesmo assim consegui boa vantagem. Segundo dia a preocupação maior era não comprometer a vitória em TT1, esquecendo um pouco a Geral. E assim foi. Consegui fazer uma corrida limpa e sem arriscar nada. O caminho faz se caminhando e um passo de cada vez e sinto que estamos no caminho certo. Obrigado a todo o team que esteve exemplar e uma palavra de apreço ao Pedro Bianchi Prata pela sua enorme experiência e com apenas umas palavras faz com que tudo corra pelo melhor”, disse o piloto.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

O piloto ACP, Pedro Bianchi Prata, aos comandos da CRF450RX, foi quarto classificado nos veteranos, enquanto Rui Ferreira “Panda” foi sexto entre os veteranos e quarto na TT3, aos comandos da CRF490RX.

“Fim de semana duro, uma corrida muito física e técnica e perigosa, pois o piso estava como gelo, a concorrência esteve muito forte e não consegui melhor que o quarto lugar. A moto esteve impecável, a assistência também, tenho de trabalhar mais para discutir os lugares da frente. Obrigado a toda a equipa pelo excelente trabalho”, comentou Pedro Bianchi Prata.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

“Primeira prova da época 2022, primeiro contacto com a mota nova e um quarto lugar na classe TT3. Como sempre, Gois ‘oferece’ uns troços muito técnicos e, desta vez, aumentou a dose. Foram 146 quilómetros percorridos por duas vezes. Sem dúvida, que, na minha opinião, foi o melhor traçado dos últimos anos, a organização está de parabéns. De parabéns está toda a equipa, staff e pilotos. Conseguimos pódios em todas as classes e lutámos ao máximo pela vitória a geral. Parabéns a todos os colegas de equipa pelos resultados! Que venha a próxima para usufruir ao máximo da mota nova”, afirmou Rui Ferreira “Panda”.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

De volta às corridas do Nacional, depois da participação no Rally Dakar, esteve Arcélio Couto, que foi terceiro na TT3, aos comandos da sua Honda CRF490RX, vice campeã em 2020.

“Primeira prova depois do regresso do Dakar, onde o objetivo era simplesmente rolar e estar com a equipa (Família Team Bianchi Prata). Mas o ‘bicho’ mexe sempre e lá tivemos que dar gás. Conseguimos um terceiro lugar na TT3 e 16 Geral. É sempre bom estar de volta ao Pelotão do TT Nacional. Será que nos vemos em Ferraria?!”, declarou o piloto.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

Também com a assistência do Team Bianchi Prata Honda estiveram mais dois pilotos.

“Foi uma prova difícil, muito escorregadia, mas estou contente por ter chegado ao final. A equipa esteve excelente e já estou com vontade da próxima prova”, disse João Pires.

Foto: Team Bianchi Prata Honda

Já Luis Aguiar, terceiro na categoria Veteranos, afirmou: “Estou contente com o resultado! Foi uma prova gira e técnica. Obrigado à equipa pelo excelente trabalho”.

A prova esteve dividida em dois dias e contou com três especiais, a primeira de oito quilómetros e as outras duas de 146 quilómetros cada. No total, o Raide de Gois teve mais de 300 quilómetros cronometrados e mais de cinco horas de prova.

A próxima prova do Team Bianchi Prata será o Raide da Ferraria, de 22 a 24 de abril.