Por detrás da conquista de vários troféus, Rosa Madureira, a atleta a competir pela AD Marco 09, esconde uma história de superação e resiliência.

Rosa Madureira, de 44 anos, iniciou a prática do atletismo com cerca de 22 anos “numa simples brincadeira com um amigo”, revela a atleta em entrevista ao Jornal A VERDADE. Uma pequena brincadeira passou a paixão, o que levou Rosa a continuar a treinar e, hoje, é conhecida na sua modalidade.

O gosto intensificou-se quando ganhou o seu primeiro troféu e “ganhando a motivação aumenta”, confessa. O percurso de sucesso esconde uma vida de superação e resiliência. No momento em que foi mãe, Rosa viu-se forçada a fazer uma paragem na sua carreira, que viria a repetir-se mais tarde quando surge na sua vida uma doença rara. Paragens longas que a obrigaram “a começar tudo do zero novamente”

Embora “ultimamente se vejam muito mais mulheres a praticar atletismo”, no tempo em que ingressou na modalidade era muito mais complicado conciliar a sua carreira com a vida familiar. A ajuda da família foi essencial para Rosa “conseguir treinar”, nas provas “tinha amigos e o responsável pelo clube de Castelo de Paiva” no momento em que foi mãe. “Sem todos estes auxílios, seria muito complicado seguir a modalidade”, salienta, sublinhando também o apoio do município de Marco de Canaveses e dos patrocinadores.

A sua carreira desportiva pauta-se pela conquista de várias provas de atletismo, como a sétima Maratona do Funchal, a última prova que venceu.

O Grupo Desportivo de Castelo de Paiva foi o seu primeiro clube, seguindo-se um clube de Matosinhos, FC Penafiel e, atualmente, representa a Associação Desportiva Marco 09. Ser representada por um clube facilita a prática da modalidade, porque “torna-se mais fácil suportar as despesas”, que de forma individual seria “muito complicado”.

Rosa Madureira, uma atleta e mulher medalhada, apela à prática de exercício físico, porque, para além do reconhecimento, “faz bem à saúde”.