Ser avó ou avô é “ser mãe ou pai duas vezes”. Um amor “que não se explica” e que “é diferente de tudo o que se pode sentir”. Quem o demonstra é Lurdes Santos, uma avó de 79 anos que o Jornal A VERDADE encontrou a comemorar o Dia Nacional dos Avós, em Penafiel.

A septuagenária é natural da freguesia de Valpedre e habitualmente participa na celebração do Dia Nacional dos Avós, juntamente com o seu marido e com vários amigos. Este ano só tem pena “de não poder dançar”, mas a “felicidade” por ver a festa regressar é “enorme”. “Gosto muito desta festa, é muito especial”, disse.

É mãe de 10 filhos, avó de 22 netos e bisavó de 14 bisnetos que “são tudo” na sua vida. “Sou uma mãe, uma avó e uma bisavó muito babada”, admitiu. A penafidelense garante que “ser avó é ser mãe duas vezes. Os netos são muito especiais, já para não falar dos bisnetos. São uma coisa muito boa na nossa vida”.

O “mimo” é “todo para os netos e para os bisnetos”, apesar da maioria se encontrar emigrada no Luxemburgo. “Estão ansiosos por vir para cá. Todos os dias me telefonam, estão sempre a dizer que nunca mais chega a altura de vir para minha casa”, contou, orgulhosa.

A sua comida é também “muito especial” para os seus netos e bisnetos. “Todos gostam das batatas e do arroz no forno, mas tenho uma netinha que adora que eu faça patas de galinha estufadas. Ela diz que a mãe tenta fazer, mas que não é igual, que as minhas são melhores”, afirmou.

E já diz o ditado que “velhos são os trapos”. Lurdes Santos não deixa que a idade fale por si e até tem um “telemóvel moderno”, com Facebook e Whatsapp. “Eu tinha um telemóvel pequenino, mas há dois anos os meus filhos resolveram dar-me este. E eu pedi para me ‘pôr’ o Facebook e o Whatsapp, eles lá puseram e eu atino com isto tudo. Mando-lhes muitos áudios”, realçou.

As redes sociais ajudam esta avó a manter-se mais perto daqueles que mais lhe são queridos. No entanto, as “caixas com coisas” que os seus filhos lhe mandam também. “Eles mandam-me muita coisa, então eu decidi mandar também. Tenho uma filha que não vem cá agora, porque já cá esteve em fevereiro, e mandei-lhe uma caixa com laranjas, pimentos, tomates, pepinos… o que calhou”, descreveu.

Prestes a “matar saudades” de grande parte da sua família, Lurdes Santos deixa uma mensagem a todos os seus filhos, netos e bisnetos: “sou uma avó muito orgulhosa. Quero dizer que os amo muito, oxalá eles tenham ‘saudinha’, e eu também, e que para o ano eu possa estar aqui e ter algum neto comigo”.