Nas últimas semanas, cor, vivacidade e identidade têm preenchido uma parte da freguesia de Meinedo, em Lousada. Da igreja de Meinedo, à ponte romana, bem como à ferrovia são vários os pontos de referência da freguesia que estão representados num mural de arte urbana.

Este trabalho foi proposto pelo projeto Louzad’Art Urbana e pelo município de Lousada e elaborado pelos artistas Third e Godmess, contando ainda com o apoio da Junta de Freguesia de Meinedo.

Os dois artistas foram desafiados e tentaram encontrar “uma forma híbrida de conjugar” o estilo de ambos para poderem realizar a melhor interpretação possível da identidade deste local. “O trabalho foi feito em conjunto, cada um foi desenhando alguns elementos”, indica Nuno Palhas, mais conhecido como Third, lembrando que utilizaram tinta com base acrílica. O artista acredita que o que diferencia cada uma das partes está na “pincelada de cada artista, que é o género de um ADN”.

Esta temática da ferrovia também foi uma das que abordou “em alguns festivais” em que participou. “Gosto de máquinas, interessam-me os motores, as próprias locomotivas a vapor, que têm uma certa estética que me agrada”, afirma o artista de Vila Nova de Gaia, defendendo que o trabalho de arte urbana que tem vindo a ser feito no país tem tido um “impacto positivo, que chama a atenção das pessoas”.

Foto: Cristiano Freitas

Este primeiro mural de arte urbana na freguesia tem tido “um impacto e uma divulgação muito interessante” na freguesia e nas pessoas que passam pelo local, como explica o presidente da Junta de Freguesia de Meinedo, Nuno Ferreira.

“Trabalhamos esta ideia ao longo dos últimos quatro meses a trabalhar e a afinar até chegar ao resultado final, que nos agradou a todos. Conseguimos chegar ao final e ficarmos todos satisfeitos com a obra apresentada. Mais nos orgulha o facto de Meinedo ter uma história muito vincada à ferrovia, que tem tido uma divulgação e promoção muito interessante também por essa via e o nosso orgulho e sentimento de dever cumprido enquanto executivo”, continuou, esperando que “as pessoas continuem a usufruir desta excelente arte urbana”.

Nuno Ferreira recorda que há “muita gente ligada à ferrovia na freguesia até aos dias de hoje”. Por esse motivo, está a ser desenvolvido um projeto, em colaboração com o município, para a abertura de “um centro de história da ferrovia no concelho, nomeadamente em Meinedo, no apeadeiro”. O espaço “já foi validado”, está a ser feita a recolha do material e disposição pelo espaço e é necessária uma série de obras “para depois estar acessível”.

Os três jovens do projeto Louzad’Art Urbana (Vítor, Diogo e Tiago) contam que a reação a este mural “prendeu-se com um ‘Wow’ gigante e arrebatador, seguido de uma satisfação enorme pelo resultado”.

“Equacionamos murais tanto em Meinedo como em Caíde de Rei pela particularidade de serem freguesias com uma história enormíssima no setor ferroviário”, refere Vítor Silva, explicando que contaram com “uma colaboração exímia, em todos os sentidos, do executivo municipal e da Junta de Freguesia de Meinedo”. “O local, em que moldes seria pintado, o que seria pintado, entre outros pormenores, surgiram com a cooperação harmoniosa do Executivo Municipal, da Junta de Freguesia de Meinedo e com os artistas responsáveis”, continua.

“O que pretendemos enaltecer e valorizar é a história, as tradições e os valores de Lousada”, sublinha, acrescentando que “a arte urbana será o melhor método para demonstrar a todos os visitantes/turistas um pouco da história, e os seus afloramentos, de Lousada sem ser necessário o emprego de palavras, mas sim através da arte pura e dura”. Além disso e através desse tipo de arte, “dar a conhecer à população mais jovem parte da história do concelho onde residem”.

“Arte urbana é, na nossa ótica, o rastilho ideal para inflamar o nosso bairrismo e o nosso amor por esta Vila. A arte urbana embeleza o que é feio, retrata e satiriza o impensável e comunica um elenco de coisas que temos, na primeira pessoa, receio em proferir. É, sem sombra de dúvidas, o tipo de arte mais em voga no presente”, comenta Vítor Silva.

“Estamos desejosos por criar um mural dedicado às Festas Grandes em Honra ao Senhor dos Aflitos. Esse poderá ser o próximo. Outra ideia passa, também, pela criação de um mural dedicado ao setor ferroviário na Freguesia de Caíde de Rei”, anuncia, referindo, contudo, que estão “limitados a muitos condicionalismos”.