A Liga dos Bombeiros Portugueses emitiu um comunicado esta terça-feira, dia 26 de julho, a lamentar o facto de os bombeiros terem de pagar portagens no caso das viaturas de transporte de doentes, que apoiam as corporações nos incêndios.

As Viaturas Destinadas ao Transporte de Doentes – VDTD têm como função principal “o transporte de doentes para tratamentos, consultas e outros atos, mas também são um recurso importante” para a evacuação de locais com populações em risco e, neste caso, para transportar bombeiros para os vários teatros de operações.

“Para proceder à rendição dos elementos idos de todo o país para os locais dos maiores incêndios, as associações servem-se das suas VDTD para transportar os seus bombeiros. Para tal, têm pago as portagens das autoestradas, já que, como é sabido, essas viaturas não beneficiam de portagens gratuitas. E, desses custos, as associações só serão ressarcidas mais tarde, ou seja, é mais um custo que, entretanto, têm que suportar, e que podia ser evitado”, pode ler-se.

A Liga indica que, “em cada viagem de uma VDTD nesse tipo de missão, chegam a ser despendidas mais de duas centenas de euros só em portagens”.

A organização refere-se a esta situação como “absurda” e que “justifica, mais uma vez, a reivindicação da confederação para portagens gratuitas para as viaturas destinadas ao transporte de doentes (VDTD)”. A utilização das VDTD para apoiar a rendição dos bombeiros “foi um dos muitos argumentos apresentados pela LBP à Brisa e ao secretário de Estado das Infraestruturas para o direito a portagens gratuitas”, mas esses argumentos, “infelizmente, não tiveram, até agora, ganho de causa”.