Ser uma engenheira “bem-sucedida, talvez numa empresa internacional” são objetivos “ambiciosos” e que pertencem a Leonor Marques, uma das melhores alunas da Escola Secundária de Amarante no ano letivo de 2021/2022. 

A jovem de 18 anos terminou o curso de Ciências e Tecnologias com 20 valores e conseguir ter boas notas “sempre foi uma preocupação minha. É algo que me faz sentir realizada”, conta em entrevista ao Jornal A VERDADE.

Leonor Marques, que em criança era “muito curiosa e estava sempre a fazer perguntas”, descreve-se como uma aluna “organizada e metódica” e as boas notas foram resultado “de um conjunto de várias razões. Sempre tive um empenho contínuo e sistemático. Fazia resumos e exercícios diários, estava atenta nas aulas”, recorda.

Ao seu empenho, a aluna acrescenta o “apoio dos professores que sempre se mostraram disponíveis. Só tenho boas experiências e estou muito grata porque me ajudaram imenso. Foram todos excelentes mesmo. Sem um bom acompanhamento não era nada”, enaltece.

Para Leonor Marques também os amigos e a família fizeram parte do sucesso escolar. “Tive muita sorte com a turma e com os meus colegas. A minha família também sempre me apoiou”. 

Para ter 20 valores, a aluna estudou “muito”, mas considera importante “haver um equilíbrio na vida. Focar apenas nos estudos não é muito produtivo. Temos de saber quando temos de estudar e às vezes descontrair também”.

Momentos de descontração que “ajudam a desenvolver novas competências, como a organização. Comecei muito cedo na dança, aprendi a tocar flauta transversal. No ensino secundário participei em três projetos Erasmus (na Estónia, Irlanda e República Checa). Foram mais-valias porque conheci pessoas com culturas diferentes, saí da minha zona de conforto. Sem dúvida que aumentou muito a minha independência e alargou os meus horizontes“, afirma.

O futuro universitário de Leonor Marques passará pelo curso de Engenharia e Gestão Industrial, na FEUP. “No início ponderei a gestão, mas depois tive a investigar as disciplinas e como adorava físico-química e matemática acabei por me identificar mais com este”, revela.

A jovem universitária que imagina, um dia, vir a ser “uma engenheira bem sucedida, talvez numa empresa internacional”, aconselha os alunos que vão entrar no secundário “a planear bem estudo, apontar os objetivos, mas não esquecer que também é necessário descontrair um pouco e desfrutar da vida”.