O município de Lousada em parceria com a Associação de Cultura Musical de Lousada e o Agrupamento de Escolas de Lousada Oeste assinaram um acordo no âmbito do projeto Alol – ad libitium Orquestra de Lousada, no dia 5 de dezembro.

O projeto tem como objetivo promover a “inclusão social que pretende integrar as crianças e jovens através da música”, explica o município em publicação.

Para além disso, a Câmara Municipal de Lousada acrescente que a iniciativa pretende “combater situações, tais como o abandono escolar ou insucesso escolar, entre outras problemáticas, assim como promover a integração social e os direitos de igualdade”.

Foto: Município de Lousada

O projeto aLOL vai formar uma Orquestra Clássica com a participação de 48 crianças e jovens e com uma carga curricular semanal de sete horas. “Uma hora de instrumento, duas horas de Naipe, uma hora de Formação Musical e três horas de Orquestra” e os instrumentos trabalhados vão ser o “violino, viola d´arco, violoncelo, contrabaixo, oboé, clarinete, fagote, flauta, trompete, trombone, trompa e percussão”, explica a autarquia.

A esta iniciativa junta-se o Ministério da Educação e o Conservatório do Vale de Sousa, desta forma, cabo ao ministério atribuir um crédito horário de 55 horas ao agrupamento para recrutamento de docentes do ensino artístico especializado.

Foto: Município de Lousada

O município de Lousada irá financiar a aquisição dos instrumentos e o Agrupamento de Escolas Lousada-Oeste e Conservatório do Vale do Sousa vão partilhar a direção artística.

O município considera que “a música tem um papel importante no desenvolvimento das crianças e jovens” e, por isso, decidiram adotar o modelo El Sistema, criado e idealizado na Venezuela, que baseia-se num “sistema de imitação, onde a criança ou jovem cria o gosto por fazer através dos modelos (professores) e só depois aperfeiçoa”, termina o município de Lousada.