Diz-se que ‘o céu é o limite’ e é este mesmo o mote de José Pedro Teixeira, um jovem de Vilela, no concelho de Paredes, que foi homenageado pelo município com uma medalha de ouro, na segunda-feira, dia 18 de julho, “mérito académico, empenho e dedicação às atividades curriculares e extracurriculares”.

“Receber aquela medalha de ouro foi muito gratificante e, acima de tudo, senti que todo o meu trabalho, empenho e esforço foi reconhecido. Apesar de não estar à espera de o receber, a verdade é que eu fiquei muito feliz porque não deixou de ser o reconhecimento de todo o trabalho que tenho feito e desenvolvido e acho que ajuda a recordar e até a incentivar aquilo que cada um de nós pode fazer e até quem sabe incentivar mais pessoas”, comentou ao Jornal A VERDADE.

José Pedro Teixeira foi distinguido também pela vitória dois anos consecutivos do projeto ‘Nós Propomos’ e pela participação no Programa Parlamento dos Jovens – Ensino Secundário, enquanto representante do distrito do Porto na Fase Nacional do projeto.

O jovem considera que o Parlamento dos Jovens é um projeto “interessante” e, este ano letivo, foi a segunda vez que concorreu, sendo que foi a primeira em que a iniciativa se realizou no formato presencial. “É um projeto para o qual trabalham um ano inteiro e até várias escolas que já estão acostumadas a vencer prémios porque se esforçam de tal modo para esse projeto que chegam com discursos de vitória preparados. A verdade é que eu cheguei lá com os meus colegas de escola e chegámos quase sem nada, chegámos com as nossas ideias, sem discursos preparados, sem sequer pensar que podíamos ganhar”, recorda, explicando que percebeu que as ideias que apresentaram conseguiram “despertar até a atenção dos jovens”.

A principal mensagem que José Pedro Teixeira tentou transmitir foi de “cooperação e não de competição”. “Porque, afinal, todos nós éramos alunos do Porto. Honestamente, todas as ideias eram boas, não considero que a minha ideia era melhor do que a do colega e, apesar de todas serem discutidas, acabam por dar um contributo ao debate. Então, deixei de tentar competir com outras ideias que não as minhas e passei a cooperar com as mesmas. Estamos aqui para cooperar e passando esta mensagem de que todas as ideias valiam o mesmo, de que todas as ideias elegidas iam ser representadas por mim na Assembleia da República e que, para mim, era um gosto estar lá e ouvir as ideias também dos outros e não só as minhas”, comentou.

Sobre a iniciativa ‘Nós Propomos’, visa que os alunos detetem “problemas na sua localidade” e proponham uma solução, que, “muitas vezes, são inclusive ouvidas pela câmara municipal e são postas em prática”. Como foi o caso do projeto Comércio de Rua e do Simulacro Ambiental na Escola Básica e Secundária de Vilela, no âmbito de um projeto proposto pelo jovem e o seu grupo.

Para o futuro, José Pedro Teixeira ambiciona entrar, já no próximo ano letivo, no curso de Direito, na universidade, sempre em mente que “o céu é o limite”. “Até se inventar o primeiro avião não se acreditava que ninguém conseguisse voar e, muitas vezes, nós ficamos presos àquilo que achamos que não conseguimos fazer, quando damos fé, já estamos a fazer muito mais do que aquilo que pensamos que éramos capazes. Realmente, se sonharem, trabalharem e concretizarem, vão ver que, de facto, o céu deixa de ser o limite”, concluiu.