O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação de Crimes e Contraordenações Ambientais (NICCOA) do Porto, na segunda-feira, dia 7 de março, constituiu arguido um homem de 40 anos por crime de danos contra a natureza e apreendeu 170 aves protegidas, no concelho de Paredes.

“No âmbito de uma investigação de um crime de danos contra a natureza, mais precisamente de captura e comércio de aves protegidas, na localidade de Lordelo, os elementos do NICCOA identificaram um homem de 40 anos que capturava e comercializava aves protegidas” refere a autoridade em comunicado, acrescentando que “no seguimento da ação policial foi realizada uma busca domiciliária, onde foi possível apreender as 170 aves”. No decorrer da ação foram ainda apreendidas 10 gaiolas.

O mesmo comunicado indica que as aves apreendidas foram entregues no Centro de Recuperação de Fauna do Parque Biológico de Vila Nova de Gaia, onde irão ser “sujeitas a exames médico-veterinários, para efeitos de recuperação e posterior libertação ao seu habitat natural”.

O suspeito foi constituído arguido, e os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Paços de Ferreira.

De acordo com a GNR “quem capturar, destruir ou eliminar exemplares de espécies protegidas da fauna ou da flora selvagens, com recurso à utilização de meios e processos não autorizados, incorre num crime de danos contra a natureza e é punido com pena de prisão até cinco anos”.