Em 2014, Tatiana Silva e outros colegas decidiram criar na paróquia de Fornos, em Castelo de Paiva, o grupo ‘Jovens Promessa’. “Na altura não existia e nós já fazíamos alguns trabalhos com meia dúzia de pessoas”, recorda em entrevista ao Jornal A VERDADE.

Mais tarde, decidiram formalizar o grupo e ajudar a paróquia. Começaram por “ajudar outros grupos”, como a Conferência Vicentina, “mais nesta altura do Natal”.

Época que, em 2021, assinalaram de forma diferente. “Surgiu a ideia de fazermos uma recolha de brinquedos, para criarmos mais ligação com as crianças da paróquia, e encarregados de educação”, conta Tatiana.

A recolha foi realizada na ‘Noite de Halloween’, na qual todas as pessoas que tiveram interesse em participar, levaram um brinquedo novo para poderem entrar. Como nos explica a jovem, “na manhã do dia 24 de dezembro, e todos vestidos a rigor”, os bens foram entregues “às crianças da nossa catequese. Fizemos um trabalho juntamente com as catequistas, na recolha dos nomes dos meninos, aqueles que achavam que teriam mais necessidade”.

Para Tatiana foi um dia “especial” estar juntos daqueles que mais precisam. Confessa que chegou ao fim “de coração cheio. Não contava com aquela reação. Nós avisamos os pais que íamos, para termos a certeza de que estariam em casa, e os meninos ficaram sem reação”.

Foram várias as situações que a marcaram, mas uma delas ainda está presente na memória. “O ano passado tivemos uma situação muito engraçada. Um menino ficou tão contente que disse que também tinha um fato de Pai Natal e pediu à mãe para o vestir”, relembra.

Este ano, os ‘Jovens Promessa’ não organizou a atividade, mas não virou costas à solidariedade. “Junto da comunidade realizamos uma recolha de brinquedos, que termina no domingo, dia 18 de dezembro. Estamos a perceber quais são as crianças e vamos entregar novamente no dia 24”, revela.

No entanto, se o grupo tiver a indicação de que “o agregado familiar tem mais meninos que ainda não frequentam a catequese, também deixamos para essas crianças”.

O voltar para casa naquele dia, é diferente de todos os outros, porque vão com o “sentimento de dever cumprido. É uma sensação que nem dá para explicar. É pouquinho, mas já é alguma coisa que fica e que marca, tanto o grupo como os outras pessoas. É esta ligação que se vai criando entre a catequese, o grupo de jovens e a comunidade, que queremos continuar a criar”. frisa.

O grupo ‘Jovens Promessa’, composto por jovens dos 15 aos 27 anos, quer continuar a fazer um “trabalho que é pequenino, mas que ao mesmo tempo é grande, principalmente nesta altura do Natal”, finalizou.