Passava pouco das 15h00 quando duas carrinhas cheias de refugiados ucranianos chegou à freguesia de Sande e São Lourenço do Douro, no concelho de Marco de Canaveses. A iniciativa partiu de uma família natural da Ucrânia, a viver naquela freguesia, que, com o apoio da autarquia local, conseguiu ir à Polónia buscar estes familiares.

Em declarações ao Jornal A VERDADE, Vítor Pereira, presidente da Junta de Freguesia de Sande e São Lourenço do Douro, explicou que a família ucraniana a viver há vários anos na freguesia solicitou o apoio para fazer este transporte. “Optamos por alugar duas carrinhas e abrimos uma conta solidária para ajudar nas despesas. Eles próprios foram buscá-los. Inicialmente eram 13, mas vieram 15 pessoas”, explicou.

A ação de solidariedade contou também com o apoio da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, que vai ceder a habitação social, localizada no antigo infantário da Bouça Carreira. “Aí vão ficar 13 pessoas, sete num lado e seis no outro, e os outros dois ficam com a família que já vive cá”, descreveu.

Yulia Boyko, uma das responsáveis por trazer este grupo até Marco de Canaveses, disse que estão todos “muito agradecidos” pela recetividade. “Ficaram os homens, que já ligaram a dizer que pode ser a última chamada. São situações muito complicadas”, disse.

Cristina Vieira, presidente da Câmara Municipal de Marco de Canaveses, na receção aos refugiados ucranianos, afirmou que a autarquia “através do serviço municipal da Proteção Civil está a coordenar os meios logísticos e humanos para receber ucranianos no município”, garantindo que a integração deste grupo será feita “paulatinamente” e frisou: “O tempo que estiverem cá, vamos fazer tudo para articular com as entidades para que possam dispor de meios que tinham na Ucrânia”.

Bruno Monteiro, responsável municipal da Proteção Civil, explicou que “uma das preocupações é criar um dos fios condutores desde a Ucrânia e definir as regras para que tudo corra dentro da normalidade. A partir do momento que recebemos o pedido para intermediar prontificamo-nos a ajudar”, constatou.

Presente também na receção, em representação da Junta de Freguesia de Sande e São Lourenço do Douro, esteve Pedro Daniel, que sublinhou que a conta aberta pela junta “continua aberta” para apoiar estes refugiados. “O apoio também pode ser feito através da doação de roupa e comida”, finalizou.

Veja a entrevista completa no vídeo aqui.