O início da greve nacional de professores está marcado para esta sexta-feira, 9 de dezembro, e continuará “por tempo indeterminado”, com a participação de mais de 4500 professores.

Em causa, segundo o Sindicato S.TO.P, estão a “gestão e o recrutamento pela graduação e sem ‘perfis/mapas”, reclamados pela classe profissional.

Através das redes sociais, o sindicato revela que a greve terá como objetivo a luta pelo “aumento salarial que compense a inflação. Desde 2009 os professores perderam cerca de 20% do poder de compra. No mínimo queremos um aumento de 104 euros”.

Reclamam a “vinculação dinâmica dos contratados. A vinculação não deve ser feita pela injusta norma travão mas considerando o tempo de serviço que os professores contratados têm”. Assim como a “contagem de todo o tempo de serviço”.

Por fim, o “acesso ao 5.º e 7.º escalões sem quotas”.