A Albufeira da Pala, no concelho de Baião, volta a ser palco, nos dias 10 e 11 de setembro, do Grande Prémio de Baião de Motonáutica F2. O evento é promovido pela Federação Portuguesa de Motonáutica, em parceria com a Câmara Municipal de Baião.

O evento foi apresentado na tarde desta quarta-feira, dia 31 de agosto, e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira e do presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica, Paulo Ferreira.

São esperados 19 pilotos, de 14 nacionalidades diferentes, sendo que este ano é acrescida a novidade da presença de uma equipa australiana, que vai competir, pela primeira vez na Europa, a equipa Cohen Brothers Racing, com o piloto Brock Cohen. O campeão do mundo de 2021, Rashed Al Qemzi, vencedor na Pala em 2018, 2019 e 2021, também confirmou a sua presença, tal como Mansoor Al Monsoori, que lidera atualmente a classificação geral do campeonato, com 35 pontos.

O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, em declarações à imprensa, refere que a aposta na motonáutica é a “nossa estratégia de promoção territorial não só do concelho de Baião, mas desta região onde nos inserimos. O turismo é um dos pilares da nossa economia e, por isso, tudo aquilo que contribui para trazer pessoas ao território é fundamental, não só por causa dos turistas, mas porque o facto de eles cá estarem contribui para a dinamização económica, fixação de pessoas, emprego e riqueza”

O autarca acrescenta que “a prova de motonáutica não só tem um impacto muito grande nos dias em que estas provas se realizam, atraindo milhares de pessoas ao nosso território, mas depois com a imagem que as pessoas daqui levam ou através da transmissão televisiva. Esta é uma das paisagens mais bonitas do mundo e nós esperamos que depois tenham curiosidade em vir cá e temos vindo a verificar que isso tem acontecido”, explica o presidente. 

A sustentabilidade foi, igualmente, tema de destaca. O presidente do município destaca “Baião como destino turístico sustentável e temos de ter cuidados muito grandes, não só para atingir essa certificação, mas para a manter”. Para o autarca Paulo, o evento deve ter uma “pegada ecológica para este ser um evento eco-sustentável. Há um conjunto de medidas, não só do tratamento de lixo e dos resíduos, mas também vamos ter que ter medidas compensatórias em função do dióxido de carbono que aqui for libertado, compensar com a plantação de árvores, temos de equilibrar a balança”, explicou.

Paulo Pereira constatou ainda que esta é uma prova que traz pessoas “não só ao concelho, mas também a toda a região. Passamos de um tempo em que havia a ideia de que os municípios concorriam uns contra os outros, a puxar por aquilo que cada um tinha de melhor, para um momento que eu sinto de que todos nós concorremos uns com os outros, pela positiva, para oferecer melhor oferta a quem nos visita”.

O ​​presidente da Federação de Motonáutica, Paulo Ferreira, afirma que “defende sempre Baião junto da UIM para termos estas provas, Baião brinda-nos com isto. Não tenho dúvidas que o Paulo Pereira tem lutado junto comigo para conseguirmos esta prova”

“Esta é a terceira prova do campeonato do mundo. Neste momento, está tudo em aberto no campeonato do mundo. Temos uma final também em Portugal, estão em disputa 40 pontos em Portugal, 20 pontos cá, 20 pontos em Vila Velha de Ródão”, explica Paulo Ferreira. 

Paulo Ferreira destaca a “segurança” durante a prova. “Aqui, no ano passado, brindaram-nos porque os motores estavam no limite e este ano vai ser igual, portanto, eu espero que seja uma excelente prova e o povo gosta de ver e eu adoro ver estas margens repletas de pessoas”, considerou. 

O evento contou, ainda, com a presença de Inácio Ribeiro, vice-presidente Turismo Porto e Norte de Portugal, Frederico Martins, representante APDL e Sérgio Monteiro, secretário da Junta de Freguesia Ancede e Ribadouro. 

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.