A GNR desmantelou, esta segunda-feira, dia 30 de maio, uma rede organizada de crimes de furto, furto qualificado, roubo, sequestro, extorsão, posse de armas proibidas, tráfico de armas, tráfico de estupefacientes, burla e associação criminosa, nos distritos do Porto, Braga e Aveiro.

Em comunicado, a GNR informa que deteve 17 homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre os 19 e os 50 anos e constituiu arguidos 12 homens, no âmbito de uma investigação por crimes contra as pessoas e contra o património que teve a duração de cerca de dois anos.

Durante a operação policial, foram realizadas 56 buscas domiciliárias, sete buscas em veículos e estabelecimentos, dando ainda cumprimento a sete mandados de detenção, nos concelhos de Matosinhos, Santo Tirso, Valongo, Trofa, Vila Nova de Gaia, Maia, Paços de Ferreira, Ermesinde, Famalicão, Barcelos, Braga, Guimarães e Oliveira de Azeméis, onde foi possível apreender o seguinte material: oito armas de fogo (cinco pistolas, um revólver e duas caçadeiras modificadas); três armas brancas; sete armas de recreio; 715 munições de armas de fogo; 10 veículos de média/alta gama; 17.400 euros em dinheiro; 54 doses de haxixe; 772 doses de heroína; 561 doses de cocaína; 134 gramas de produtos de corte; duas balanças de precisão; 178 maços de tabaco por suspeitas de furto; várias peças de ouro suspeitas de serem furtadas; 44 telemóveis; dois tablets; um computador portátil; várias ferramentas utilizadas nos furtos e outras ferramentas furtadas; e diversa documentação.

Foto: GNR

Os detidos, todos com antecedentes criminais por diversos ilícitos criminais, vão ser presentes, esta terça-feira, dia 31 de maio, a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, para aplicação de medidas de coação. O inquérito crime corre os seus termos na 1.ª Secção do Departamento de Investigação e Ação Penal Regional do Porto, destinado à investigação de crime económico, financeiro e violento.

O desmantelamento desta rede foi efetuado pelo Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Santo Tirso. A ação policial contou com o reforço do Destacamento de Intervenção (DI) do Porto, dos Comando Territoriais de Braga, Aveiro, Viseu, Coimbra, Viana do Castelo, Leiria, Bragança, Vila Real e Santarém, da Unidade de Ação Fiscal (UAF), da Unidade de Intervenção (UI) e com o apoio da Polícia de Segurança Pública (PSP).