Organizada pelo município de Resende com o apoio da Dolmen, Cooperativa de Desenvolvimento Local e Regional, a Festa das Cavacas regressou, nos dias 30 de maio e 1 de abril, com a visita “de milhares de pessoas” após dois anos de interregno devido à pandemia.

Foram mais de 200 os produtores que conseguiram vender “cerca de tonelada e meia de cavacas, promovendo este doce como uma das especialidades mais características da doçaria tradicional da região”, sublinha o município de Resende.

A edição deste ano contou com uma novidade, a apresentação de 14 metros de cavacas, disponíveis para degustação dos visitantes.

Para além das cavacas, o certame voltou a contar com uma mostra de artesanato, vinhos e licores, “numa promoção dos produtos originais e típicos do concelho”, e ainda com a “presença de grupos de música tradicional e artistas nacionais”, acrescenta.

O presidente da Câmara Municipal de Resende, Garcez Trindade, mostrou-se “satisfeito” com o regresso do evento, que “contribuiu para a dinamização da economia local”.

O autarca agradeceu “a presença dos produtores, artesãos, grupos de animação e visitantes”, assim como à Dolmen “pelo apoio na realização”.

O município salienta que está a trabalhar com a Associação de Municípios do Douro e Tâmega “para a certificação da Cavaca de Resende, com o intuito de criar condições para que os produtores confecionem o doce de forma tradicional e com qualidade, registando a marca e promovendo-a a nível nacional e internacional”, conclui.