A Guimarães e Noronha, Lda. nasceu em 1999. Para além da decoração de interiores, área em que a empresa está inserida, está também vocacionada para as tradições de família, produzindo compotas, biscoitos e marmelada, em Cinfães.

Através do Norte 2020, a empresa candidatou-se a fundos comunitários, para a expansão e modernização da empresa, com a abertura de um espaço comercial dedicado a produtos alimentares artesanais. Foi também criada uma área destinada a provas de degustação dos produtos existentes na loja.

José Noronha, gerente da empresa, afirmou que as receitas das compotas, biscoitos e marmelada, são “memórias” da sua mãe, da sua avó e das suas tias. “Acompanhou-me na minha infância, adolescência, em toda a minha vida. São as minhas memórias”, afirmou.

Sobre o novo espaço, o gerente referiu que “havia, constantemente, a necessidade de vender. Aqui era uma zona de fabrico e não de venda e então surgiu a ideia de criar este espaço para vender os produtos, aliados a um café ou um chá, para acompanhar”.

O objetivo é também que outros artesãos, da região, possam expor ali os seus produtos. “Quer seja vinho ou outros produtos, queremos ter produtos regionais aqui à venda. Este apoio foi fundamental para a abertura deste espaço. Se assim não fosse, não abriria nestes moldes”, garantiu.

José Noronha explicou ainda que foram criadas duas marcas, a “So! Portuguese” e a “Our Douro”, com o objetivo de promover os produtos produzidos e comercializados naquele espaço. “Queremos que as pessoas continuem a vir aqui, para tomar um café ou para experimentar os nossos produtos”, concluiu.

A criação da loja de produtos tradicionais, em Cinfães, é um dos projetos que integra o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Tâmega e Sousa (PDCT do Tâmega e Sousa), um envelope financeiro de mais de 78 milhões de euros, destinado a apoiar, através dos fundos europeus, projetos públicos, sociais e empresariais que contribuam para o desenvolvimento, valorização e coesão deste território.

Firmado em 2016 pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa, e em vigor até ao final de 2023, o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Tâmega e Sousa tem no apoio às empresas uma das suas prioridades de investimento.

No total, foram apoiados mais de 400 projetos, dos quais 190 são de empresas, um investimento que ascende a mais de 13,5 milhões de euros de fundos comunitários.

A divulgação dos projetos do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Tâmega e Sousa é cofinanciada pelo POAT 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.