Há 50 anos nascia, no concelho de Celorico de Basto, a Escola Profissional Agrícola Eng. Silva Nunes (antiga Escola Profissional de Fermil), com o objetivo de ajudar a formar profissionais. Mais de cinco décadas após a sua abertura, este estabelecimento de ensino continua a focar-se na formação, com várias opções para aqueles que procuram um ensino profissional e diferenciado.

Para o triénio 2022/2025, a EPAESN aposta na manutenção da aposta na área agrícola, com os cursos de Técnico de Produção Agropecuária, de Técnico Gestão Equina, de Técnico de Restauração, variante Cozinha/ Pastelaria e variante Restaurante/ Bar e Técnico Auxiliar de Saúde, aliados, este ano, à oferta dos cursos de Técnico de Instalações Elétricas, Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos e Técnico de Comunicação e Serviço Digital. Refira-se que o curso Técnico de Agropecuária confere ao aluno a carta de trator tipo III, enquanto que o curso Técnico de Instalações Elétricas concede a carta de eletricista para instalação de projetos elétricos.

De acordo com o diretor da escola, Fernando Fevereiro, os cursos ali ministrados, de um modo geral, “têm revelado uma grande saída no mercado de trabalho, acrescido ao facto do investimento em projetos agrícolas estar em crescimento no nosso país, assim como a necessidade de técnicos ligados às outras áreas”. O diretor recorda que “os cursos profissionais permitem a entrada no ensino superior através dos CTESP’s – Curso Técnico de Ensino Profissional Superior ou através de exames locais feitos na própria universidade, não havendo lugar aos convencionais exames nacionais”.

As inscrições para a EPAESN são “limitadas às vagas disponíveis” e podem ser feitas online, através do site da escola, ou nas instalações do estabelecimento de ensino, localizado em Fermil, no concelho de Celorico de Basto.

Os cursos de ensino profissional têm a duração de três anos letivos e conferem certificado escolar do 12.º ano e certificado profissional de nível IV da União Europeia. “Destinados a alunos com o 9.º ano (ou em fase de conclusão do mesmo) e com idade de 20 anos até ao início do ano letivo, os cursos da escola profissional estão isentos de propinas, contemplam formação em contexto de trabalho e estágios nacionais e internacionais”, foi ainda explicado por Fernando Fevereiro.

Para além disso, o estabelecimento de ensino confere aos alunos externos outros benefícios, nomeadamente: alimentação e transportes gratuitos; livros e material escolar, nos termos estabelecidos por lei; e visitas de estudo. “Os alunos internos, além destas regalias, têm ainda direito a alojamento e a alimentação gratuita de todas as refeições: pequeno-almoço, almoço, lanche e jantar”, explicou o diretor.

A Escola Profissional Agrícola Eng. Silva Nunes oferece aos alunos “condições excelentes para a sua formação profissional e cívica. O edifício escolar dispõe de laboratórios, espaços de convívio, biblioteca escolar, sala de computadores, auditório, cantina, restaurante pedagógico, um pavilhão gimnodesportivo de grande qualidade, bem como uma exploração agrícola com 22 hectares, onde existem bovinos e equinos”, disse Fernando Fevereiro.

Na escola, os alunos podem ainda praticar desporto e música, uma vez que existe um Clube de Desportos Náuticos, bem como a aprendizagem de música, pelo Grupo de Cavaquinhos da escola. “No âmbito da bolsa de formação, os alunos dos cursos de agropecuária, juntamente com professores e funcionários, produzem vinho e leite, cultivam frutas e criam vacas e cavalos”, explicou o diretor.

Os alunos de todos os cursos participam em atividades de cariz profissional e adequadas às funções a que estão destinados. “Para além dos cursos profissionais, a escola ministra o Curso de Educação Formação (CEF) de Operador de Máquinas Agrícolas. Esta é uma forma de conclusão do 9º ano de escolaridade, podendo depois ingressar nos cursos profissionais e consequentemente seguir para o ensino superior”, concluiu Fernando Fevereiro.

Com o objetivo de continuar a formar jovens adultos, a Escola Profissional Agrícola Eng. Silva Nunes pretende continuar a ser um marco na formação profissional do concelho de Celorico de Basto, bem como de toda a região do Tâmega e Sousa.