Negócios

OTS quer ser “uma referência no setor” assente num “crescimento sustentável”

José Rocha

24-04-2021

A empresa foi inaugurada em 2006 e a sua sede localiza-se em Sande, na freguesia de Sande e São Lourenço do douro, concelho de Marco de Canaveses.

Uma empresa híbrida. Esta é, por certo, a palavra ideal para descrever a Oficina e Terraplanagens de Sande (OTS), cuja sede se localiza em Sande, na freguesia de Sande e São Lourenço do douro, concelho de Marco de Canaveses.

Inaugurada em 2006, esta empresa presta uma multiplicidade de serviços em dois setores, fazendo assim jus à anteriormente mencionada hibridez: construção civil e automóvel.

Relativamente ao primeiro, os serviços prestados pela OTS vão desde terraplanagens, construção de muros, demolições e infraestruturas.

O setor, porém, deparou-se há já mais de um ano com um até então novo adversário: a COVID-19, que afetou todo o tecido empresarial e a sociedade em geral, para não falar dos já conhecidos efeitos ao nível da saúde pública. Pedro Andrade reconhece que o contexto causado pela pandemia representa “um desafio”. Ainda assim, devido à determinação da equipa e aos setores em que opera, o golpe do novo coronavírus pode ser atenuado e até representar uma rampa para novos voos. “É um desafio e ao mesmo tempo uma oportunidade de negócio, uma oportunidade de crescimento sustentável, devido à procura que existe nesta área”, refere com satisfação.

Neste momento, as fileiras da OTS são compostas por cerca de 15 funcionários e os seus ramos de operação estendem-se, sobretudo, pela região Norte do país. O responsável da empresa mantém constantemente os olhos postos no futuro e no crescimento contínuo e, para atingir essa meta, a valorização dos recursos humanos é, para Pedro Andrade, tida como essencial. “A nossa politica é de manter uma estrutura onde reine o profissionalismo, confiança e honestidade, onde valorizamos os nossos funcionários que são o motor da nossa empresa”, elogiou.

É esse o meio no qual a OTS se baseia como forma de atingir o objetivo delineado por Pedro Andrade desde a fundação da empresa: “Pretendemos ser uma referência no setor”, revela com a determinação e ambição em alta.

Por forma a alcançar essa meta, a OTS pretende adicionar ‘novos recrutas’ à equipa, que representa o ‘motor’ da empresa. Nesse sentido, Pedro Andrade está, neste momento, a admitir pedreiros para muros e trabalhos em pedra, função em que pretende um colaborador “dinâmico e com espírito de equipa”. Em equação está também a contratação de um engenheiro civil. O candidato deve, segundo Pedro Andrade, ser “dinâmico, proativo, ter sentido de responsabilidade” e será responsável pela “direção e orçamentação de obras”.

Refira-se ainda que, a par das terraplanagens, a OTS tem também uma componente de oficina, na qual faz reparações e revende pneus, entre outras tarefas.