Negócios

EDP integra primeiro guia mundial para projetos solares flutuantes

José Rocha

10-04-2021

Saiba mais pormenores.

Foto: Emerging Europe

A EDP é a única empresa portuguesa presente no grupo de trabalho internacional responsável pelo primeiro guia global de boas práticas para criação e desenvolvimento de projetos solares fotovoltaicos flutuantes. No total, são 24 as organizações que atuam nesta área energética, entre as quais estão empresas como EDF, Total, RWE, Acciona, Equinor, DNV ou Statkraft.

"A energia produzida a partir de painéis solares instalados em estruturas flutuantes, como albufeiras ou lagos, é uma tecnologia em desenvolvimento em vários países e com forte potencial para a produção de energia limpa, principalmente em zonas onde há escassez de terrenos disponíveis para instalar centrais solares. Embora seja uma tecnologia promissora, há ainda uma série de complexidades associadas à sua instalação, desenvolvimento e gestão que motivaram a criação deste documento de 'boas práticas'", explica a EDP em comunicado.

Neste âmbito, a EDP desenvolveu um projeto-piloto na Europa na albufeira do Alto Rabagão, em Montalegre, numa localização escolhida para testar a produção de energia nas condições mais adversas. Dados os "bons resultados" do projeto no norte do país, a EDP planeia a instalação de uma nova central solar flutuante na albufeira do Alqueva, no Alentejo, com perto de 12 mil painéis.

À escala global, esta tecnologia está a ganhar dimensão. Em 2015, a capacidade de energia solar flutuante era de apenas 10 MW mas, no final de 2020, já somava 2 GW e, até 2025, a estimativa é de que estes projetos possam atingir uma capacidade total de 10 GW.

Saiba mais sobre esta iniciativa e os projetos mencionados aqui.