Ver um inseto e fugir é a “reação inicial” de muitos, mas, em Lousada, há um projeto que quer sublinhar a importância destes animais e ajudar na sua preservação. Na Escola Básica Lousada Centro, foi construído um “Hotel de Insetos” por alunos do sexto e do oitavo ano, em colaboração com o Programa de Educação Ambiental BioEscola, do município de Lousada e com o Programa Eco-Escolas.

Foto: Escola Básica Lousada Centro

Este hotel, feito com folhas de pinheiro secas, troncos, pinhas, entre outros materiais, é direcionado a abelhas solitárias, moscas das flores, escaravelhos e borboletas, que entram pelas perfurações realizadas para o efeito nos troncos. A função do hotel é “promover a biodiversidade nos jardins da escola, dar a conhecer a importância dos insetos polinizadores e contribuir para a sua preservação, já que podem aqui abrigar-se no inverno e reproduzir-se na primavera e verão”, explicam as alunas Matilde Carneiro, Leonor Costa, Victoria Siqueira e Leonor Dias, que realizaram esta sexta-feira, dia 29 de abril, uma visita ao local.

Foto: Escola Básica Lousada Centro

“A ideia surgiu aquando de uma visita à Casa das Videiras, na qual tive a possibilidade de ver um hotel de insetos e quis replicar aqui na escola”, recorda a professora de Ciências Naturais, Céu Belarmino.

O local escolhido para a instalação do hotel é rodeado de flores, com “boa exposição solar”, de forma a ser “um laboratório a céu aberto” para a observação das “espécies que ali passam nas flores”.

Foto: Escola Básica Lousada Centro

O projeto foi elaborado no ano passado, na disciplina de Ciências Naturais e em interdisciplinaridade com Cidadania e Desenvolvimento, contando ainda com a elaboração da placa de identificação do hotel por uma professora de Português. Agora, seguem-se várias ações de monitorização do hotel e de observação das espécies.

Foto: Escola Básica Lousada Centro

“Gostei muito porque é divertido e também é bom porque estamos a ajudar à biodiversidade da escola e aprendemos mais. Também aprendemos mais nomes de espécies de animais e conhecemos como é que eles se reproduzem”, sublinharam as alunas.

Foto: Escola Básica Lousada Centro

“A reação inicial quando veem um inseto é veem e fogem, mas, depois de perceberem que são importantes e que só picam para se defenderam, ficam tranquilos”, explica a docente, realçando que os jovens “percebem bem a mensagem” e acabam por passar a ideia para as suas famílias. O objetivo é “replicar boas ideias” e é possível fazer “um pequeno hotel nos jardins de casa”, de forma a que “cada um contribua um pouco para a preservação dos insetos”, já que 80% da polinização das flores é realizada por insetos.

Foto: Escola Básica Lousada Centro