O teatro é uma arte que funciona como um meio de divulgação da cultura em diferentes povos e que o homem, desde a antiguidade, usa como forma de expressão. Uma arte que desde 1961 é celebrada no dia 27 de março, o Dia Mundial do Teatro, e que é “essencial na vida de qualquer pessoa”.

Cecília Ferreira tem uma longa experiência no ensino de teatro e reconhece o valor da arte na “transmissão de valores transversais como a empatia e a tolerância”e uma ferramenta importante no desenvolvimento global das crianças e dos jovens, “que podemos usar ao longo da vida”, acrescenta.

Enquanto educadora, investigadora e artista, apresenta o teatro como “um espaço de encontro, de reflexão, entusiasmo, aventura e descoberta” e um investimento a nível intelectual, cognitivo e emocional para as crianças. “A partir de uma brincadeira os mais pequenos conseguem pôr-se, mais facilmente, no lugar do outro”, sublinha.

Apesar da sua “vertente multidimensional”, fundamental no crescimento individual, o teatro “continua a ser um parente pobre” quando comparado a outras artes. Cecília Ferreira reconhece que “o teatro não é, normalmente, a primeira escolha dos pais”, 

O teatro em Marco de Canaveses

Atualmente, o município do Marco de Canaveses “dispõe de uma oferta cultural cada vez maior”, destacando-se o papel da ARTÂMEGA na educação artística da região. “A ARTÂMEGA tem como objetivo, desde a sua criação, ser uma oferta global artística e sobretudo educativa no Marco de Canaveses e na região envolvente”, sublinha Cecília Ferreira.

A professora destaca o papel do conservatório na promoção da música, da dança e do teatro, “porque os alunos da educação artística de hoje são o público de amanhã”. O hábito de ir a um espetáculo, ao teatro ou a um concerto “não está completamente intrínseco” na comunidade, mas são hábitos “que começam graças à ARTÂMEGA”.

As crianças começam a ficar “sensibilizadas para o universo artístico” e para Cecília Ferreira “é um grande orgulho fazer parte do crescimento dos alunos e contribuir de forma ativa para o crescimento das crianças”.

Para além das crianças e jovens, a ARTÂMEGA é também um espaço para os adultos. No dia 12 de fevereiro o grupo de adultos apresentou a peça “Casado à força” de Moliére, no Emergente, e no dia 21 de maio, apresenta no mesmo local, a peça “Doente imaginária” com encenação da professora Sandra Ribeiro, a partir do original de Moliére. Esta peça passará por outras salas do concelho do Marco de Canaveses, fruto de um protocolo com a Câmara Municipal.

“Vivemos tempos muitos difíceis em que nos afastamos uns dos outros e portanto o teatro é um lugar de encontro”

O Dia Mundial do Teatro celebra o teatro, mas Cecília Ferreira realça que “é também importante celebrar o público. “Não há teatro sem público. É importante que as pessoas se habituem a ir ao teatro, porque saem muito mais ricas”. 

A pandemia da COVID-19 provocou um afastamento entre as pessoas, mas o teatro “é um lugar de encontro que deve entreter, mas tem também de mudar mentalidades”.

Cecília Ferreira pede ao público que veja o teatro como um “aliado” que nos liberta das tecnologias e das redes sociais.