Até ao momento, Portugal continua sem registar qualquer caso de hepatite aguda, mas a prevalência atípica nas crianças continua a preocupar o pais e especialistas.

A diretora-geral da saúde, Graça Freitas, assegura que Portugal está preparado para responder ao surto.

Descobrir as causas da hepatite é a prioridade da Organização Mundial da Saúde (OMS), de Portugal através da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do grupo de trabalho constituído com a Sociedade Portuguesa de Pediatria, que trabalham em conjunto.

A hepatite atípica tem afetado principalmente crianças pequenas, embora se registem casos até aos 16 anos.