Dizem que o amor ultrapassa barreiras, que é fogo que arde sem se ver e, se para muitos uma relação à distância não funciona, para outros é a prova de que a confiança é a base de tudo. Maria Inês Moreira namora há quase 10 anos com Rui Filipe Carvalho e decidiu, recentemente, pôr fim à distância que os separava e atravessou o oceano.

Ambos são naturais de Castelo de Paiva e conheceram-se na escola, na altura em que Rui regressou a Portugal, vindo das Caraíbas, para terminar o secundário. Maria Inês achou que Rui tinha “um estilo diferente do normal” e começaram a conhecer-se melhor até quando decidiram começar a namorar.

Para a jovem, que é filha única, quando o conheceu “estava mesmo muito ligada a ele”. Maria Inês seguiu para a faculdade e ele a jogar futebol. No entanto, com a pandemia, Rui optou por regressar ao sítio onde viveu desde muito novo e onde tem os pais, as Caraíbas. Ficou a trabalhar na empresa do pai, relacionada com a construção civil, onde pernanece até hoje.

A relação dos dois jovens manteve-se, mas Maria Inês sentia muito a falta do namorado e não conseguia sequer falar com ele por videochamada, pois “parece que era pior”, uma vez que “via-o e não podia tocar-lhe”. Falavam apenas por mensagens e por fotografias que iam tirando do dia a dia.

Maria Inês terminou o terceiro ano do curso de Enfermagem e ainda chegou a frequentar o início do quarto, mas a mais recente despedida de Rui custou-lhe mais que o esperado e as lágrimas foram difíceis de suportar. Então, a opção de mudar de vida e acompanhá-lo começou a fazer cada vez mais sentido. “Tive de pensar muito bem”, conta, referindo, contudo, que “a decisão já estava tomada, estava a ser mesmo complicado”. A decisão de ir para junto do namorado não agradou completamente os pais, mas Maria Inês sabe que conta com o seu apoio.

Como diz o ditado, “ano novo, vida nova”. E assim fez Maria Inês: desde janeiro que está nas Caraíbas, onde toma conta de uma criança autista. A ideia não é “continuar aqui a vida inteira”, mas sublinha a importância da “confiança, respeito, entreajuda” e apoio mútuo.

Neste Dia de São Valentim, Maria Inês declara: “É o meu porto seguro! Com ele, sinto que todos os sonhos são possíveis de realizar, com ele sinto que nada de mau pode acontecer, sinto que nada mais existe, nada mais importa além do nosso amor, dos nossos sonhos! Sou-lhe muito grata por nunca me ter abandonado nos momentos mais difíceis, por me apoiar em tudo, por me mostrar e partilhar comigo a pessoa tão humilde, genuína que ele é”.