O município de Celorico de Basto está a criar uma Rede Municipal de Intérpretes e Guias com o objetivo de “criar um grupo colaborativo que preste apoio aos serviços municipais na divulgação e preservação do património”.

Nesta primeira fase, a rede é composta por cinco elementos que compõem a Universidade Sénior e jovens do Ensino Secundário do grupo de voluntariado do Agrupamento de Escolas de Celorico de Basto.

A primeira ação de formação, decorreu no dia 9 de março, nos Paços do Concelho e foi ministrada pela técnica de Turismo, Maria das Dores Vieira. Os voluntários que integram a rede adquiriram conhecimento para poderem ser guias nos dias 19, 20 e 26 de março, com os grupos que acorrem a Celorico de Basto para conhecer os jardins de camélias, no âmbito da Festa Internacional das Camélias. Além, dos jardins de Basto os guias estão ainda munidos de conhecimento para falar do Castelo de Arnoia e a Villa de Basto.

É pretendido que esta rede R-MIG se alargue a todas as freguesias, considerando a máxima de que “os melhores guias são aqueles que melhor conhecem o território”, informa um comunicado da autarquia.

A próxima ação de formação está agendada para o início de abril, altura em que serão aperfeiçoados os temas já apresentados e incluídas temáticas como a preservação do meio ambiente e da sustentabilidade. A ideia é que os guias estejam “preparados com o know-how suficiente para a celebração do Dia dos Moinhos a 7 de abril, quando serão visitados os Moinhos de Argontim e os Moinhos do Freixieiro”.

Para a vereadora do Turismo da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Maria José Marinho, “a criação desta rede sustenta-se num grupo de pessoas que conhecem o território e são apaixonadas pelo património natural, cultural e edificado e tem gosto em preservar e divulgar esse património”.