Um estudo europeu que analisou respostas de 21.027 mulheres conclui que metade das mulheres inquiridas considera que houve uma “redução da qualidade dos serviços prestados e maior dificuldade de acesso aos cuidados de rotina”.

Mais de 21 mil mulheres de 12 países europeus responderam ao inquérito, que tem por base uma lista de normas preparadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2016.

O critério foi terem mais de 18 anos e um parto depois de março de 2020, quando a pandemia de COVID-19 chegou à Europa. Em Portugal participaram 1.685 mulheres.

Leia o artigo completo em sicnoticias.pt.