Conta Coisas

Artista de Paços de Ferreira vive "momento mais alto da carreira" no festival “Arte e Música na Rua”

José Rocha

11-06-2021

"Espero que gostem da minha visão e das minhas obras", afirma com expectativa o jovem Adriano Matos, também conhecido como VEGS.

O mês de junho é sinónimo de “Arte e Música na Rua”, festival promovido pela Junta de Freguesia de Paços de Ferreira em colaboração com a produtora THE LAST SUPPER. Para esta terceira edição da iniciativa, que decorre de 3 a 30 de junho, estão programadas 15 exposição espalhadas pelo comércio local e cerca de duas dezenas de espetáculos e intervenções, que decorrerão por toda a cidade. Saiba mais pormenores aqui.

Um dos artistas cujos trabalhos se encontram expostos pelas ruas pacenses por estes dias é Adriano Matos. De nome artístico VEGS, tem 26 anos, é natural de Paços de Ferreira e assina as respetivas obras com o nome artístico VEGS.

Ao Jornal A VERDADE, o jovem reconhece que esta exposição que decorre correntemente é o ponto mais alto da respetiva carreira até ao momento. Não perca a entrevista completa!

- Como surgiu a ligação à arte?

A minha ligação ao desenho surgiu por ter sido desde cedo influenciado pelo que via um dos meus irmãos fazer. Ele ção com o desenho surgiu desde cedo influenciado pelo que via de um dos meus irmãos fazer. Ele também está ligado à arte e, como na altura mostrava alguma capacidade a desenhar, tomei o gosto e fui desenvolvendo as minhas capacidades.

- O que mais te cativa ao desenhar?

O facto de conseguir dar vida à minha imaginação!

- Qual é o principal desafio quando trabalhas nas tuas obras?

Conseguir acabar cada projeto que começo.

- Qual dirias ser o momento mais alto da tua carreira até ao momento?

O momento mais alto será certamente agora, com a minha primeira exposição e a colaboração neste evento.

- Qual o teu maior sonho enquanto artista plástico?

Ser capaz de concretizar todas as ideias que vou tendo ao longo do tempo.

- Quais as expectativas para a participação no “Arte e Música na Rua”?

Espero que gostem da minha visão e das minhas obras e, principalmente, que desperte as veias criativas de quem está a ver os meus desenhos.

Espero também que a população desta zona aproveite esta grande iniciativa, visite as várias exposições e performances, que apoie os artistas, toda a cultura e que ajude o comércio local.