Conta Coisas

Cereja de Resende "tem qualidade" e a expectativa é de "uma boa época"

Ana Magalhães

13-05-2021

Conheça o testemunho de produtores e do presidente da Câmara Municipal de Resende, Garcez Trindade.

Com o rio Douro a seus pés e com as margens pintadas de vermelho. É desta forma que encontramos o concelho de Resende aquando da nossa visita. As cerejeiras estão, como dizem os produtores, “carregadas de boas cerejas”, sendo que algumas delas já podem ser adquiridas por todos aqueles que visitam o concelho.

Quem dá conta disso é a produtora Maria João Lopes. Com mais de quatro hectares desta árvore de fruto, a apanha já começou a ser feita nas primeiras cerejeiras, que estão mais próximas do rio. “Há muita cereja de muito boa qualidade. Acho que temos tudo para uma boa colheita. É um produto de excelência e gostava que toda a gente conhecesse, porque é maravilhosa e tem diversas variedades”, sublinhou.

No entanto, e devido à pandemia da COVID-19, à semelhança do que aconteceu no ano passado, este ano também não haverá o tradicional Festival da Cereja, organizado pela Câmara Municipal de Resende. “Era uma forma de escoar-mos o nosso produto. No entanto, acredito que os produtores conseguiram vender todas as cerejas, principalmente pela qualidade. Os clientes procuraram-nas na mesma”, destacou.

Também Francisco Guedes, responsável pelo departamento agrícola e qualidade da Cermouros, um dos maiores produtores de cereja do concelho, destacou a qualidade da cereja este ano. “Parece-nos muito bem. Estamos a fazer colheita de variedades de polpa mole e, à medida que caminhamos no espaço e no tempo, vamos apanhando outro tipo de variedades mais consistentes. Resende tem uma panóplia muito grande de cerejas, que nos permite ir até junho e julho”, disse.

O engenheiro afirma também que as “expectativas estão elevadas”, garantindo que o “mercado está à espera dos produtores e não se pode falhar”.

Junto à estrada, numa barraquinha improvisada, encontramos Nídia Carneiro. Já perdeu a conta “aos anos em que vende cerejas na estrada”, mas não deixa de realçar “a qualidade da cereja este ano”. Contudo, estes dias de chuva não são positivos para os produtores. “O tempo é que manda, a chuva pode estragar um pouco”, lamentou. Mas nem isso a deixa baixar os braços e defende: "a nossa cereja é de grande qualidade, os clientes saem daqui satisfeitos".

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal de Resende, Garcez Trindade, garantiu o apoio a todos os produtores, uma vez que o Festival da Cereja fica, mais um ano, sem ver a luz do dia. “Juntamente com a Agência de Desenvolvimento Local, fizemos uma participação numa plataforma que nos vai permitir vender cerejas online, que depois vão ser distribuídas pelos CTT. Temos a adesão de cerca de duas dezenas de produtores que também vão estar, aos fins de semana, no Largo da Feira a vender a cereja”, sublinhou.

Outro dos apoios dado pelo município aos produtores assenta na comparticipação de testes à COVID-19 a todos os envolvidos no processo da apanha da cereja. “É uma forma de prevenção”, sublinhou.

Com ou sem pandemia, o certo é que a Cereja de Resende, este ano, “está muito boa” e, quem visita o concelho, não fica indiferente às dezenas de vendedores ambulantes que anseiam pela paragem do carro para vender o seu produto.