O Emergente Centro Cultural, no concelho de Marco de Canaveses, acolheu, na noite desta sexta-feira, dia 23 de setembro, a apresentação do livro “Conta (-me) Carneirinhos”, da Confraria do Anho Assado Com Arroz do Forno. Um livro feito “a pensar nas crianças” e com o objetivo de levar a história, e as tradições, a toda a família. Luís Brás e Aldora Pinheiro foram os responsáveis por escrever o livro, tendo a ilustração de Joselina Ferreira.

Luís Brás, chanceler da confraria, explicou que este é um livro “com tradição, de geração em geração, com saberes e sabores e com a nossa receita do anho assado com arroz do forno. Uma história de partilha de uma família que, em volta deste prato, fazem uma ligação e partilham às gerações futuras”. O objetivo  “é partilhar dos avós para as crianças, a forma de confecionar este prato e mostrar uma receita importante para a região”.

Apesar da ideia já “ter surgido há algum tempo”, o livro foi efetivamente pensado após o sobrinho de Luís Brás o questionou sobre a forma de confeção deste prato. “Percebi o quão importante é transmitir a ele e aos colegas dele esta tradição. Foi o ponto fulcral para o começar a escrever”, explicou.

Este livro é também uma homenagem ao avô do chanceler que, caso fosse vivo, faria 99 anos esta sesta feira. “É uma das homenagens, a ele e à minha mãe pela forma como faz o anho assado com arroz do forno”, disse, acrescentando que esta é “mais uma forma de promoção em prol daquilo que temos feito ao longo destes 17 anos de contraria”.

Por sua vez, Aldora Pinheiro, explicou que a ideia do livro “é que os mais novos percebam que o anho assado passa pelas várias gerações, sai do forno e facilmente é carregado de emoções. É um contexto de família e de tradição. Acho que será uma boa leitura”, referiu.

Este foi “um desafio que o Luís me lançou, tinha este projeto em mente e foi a altura ideal de o lançarmos. A confraria precisava deste marco que é escrito. O objetivo é que a família faça esta ligação”.

Desafiada pelos dois autores do livro, Joselina Ferreira explicou porque decidiu aceitar o desafio. “Aceitei o desafio por se tratar da ilustração de um livro e também porque é a história da minha família e eu revi-me nela. Foi uma vontade muito grande de passar essa tradição para o papel”, frisou.

O evento contou com a presença de membros da confraria, familiares e amigos dos autores, bem como de crianças, a quem foi oferecido um exemplar. Estiveram também presentes representantes das câmaras municipais de Baião e de Marco de Canaveses.