Estamos no mês do amor por excelência. Em fevereiro, comemora-se o Dia dos Namorados, uma data em que muitos casais aproveitam para comemorar a sua relação e aquilo que os juntou. Neste âmbito, o Jornal A VERDADE traz-lhe a história de Abel Monteiro e Conceição Pereira, um casal, de Marco de Canaveses e de Amarante, que está junto há mais de 50 anos e que viveu muitas aventuras em conjunto.

Tudo começou quando Abel estava no Ultramar, em 1969. Não tinha a chamada “madrinha de guerra” e Conceição, por intermédio de um amigo em comum, decidiu desempenhar esse papel. “Começou-me a escrever e eu respondia-lhe. Não o conhecia pessoalmente, mas acredito que o meu papel foi importante. Depois fomo-nos conhecendo, trocando cartas e aerogramas e também fotografias, ele era muito lindo. Em 1971 ele voltou”, recordou.

Deu-se então o regresso de Abel à sua terra natal, Amarante, e também o primeiro encontro com Conceição, que aconteceu no Jardim Municipal de Marco de Canaveses. “Eu estava no hospital a trabalhar e saí, sem ninguém ver, para me encontrar com ele. Eu era a menina mais bonita da minha freguesia”, afirma, entre risos, recordando o momento. E foi aí que começaram a namorar. Conceição é natural de São Lourenço do Douro e, na primeira vez que se encontraram na freguesia de Marco de Canaveses, deram o primeiro beijo.

Em todo o tempo que namoraram, Abel tinha de fazer uma viagem que, naquele tempo, era longa: ia de automotora de Amarante até ao Marco de Canaveses e, daí, tinha de ir de autocarro até São Lourenço do Douro. “No regresso, quando era mais tarde, tinha de ir embora de táxi. Houve alturas que tive de ir a pé”, recorda o amarantino.

No ano seguinte, o casal decidiu dar o próximo passo: o casamento. “Casamos em 1972. Antes de ir para o casamento ainda fiz uma meda de palha”, relembra Abel, na conversa com o Jornal A VERDADE. Toda a família e amigos do noivo foram em “excursão” até São Lourenço do Douro, para testemunhar esta união. “Foi um dia muito bonito”, acrescentou.

Abel e Conceição têm, hoje em dia, cinco filhos e nove netos, que são o “resultado” desta história de amor. “São o que de mais importante nós temos na vida”, garantiu o casal, emocionado.

Há cerca de 20 anos, Abel e Conceição tomaram uma decisão importante: a de emigrar para Inglaterra. “Primeiro foi ele e, passados poucos meses, fui eu porque não queria estar longe dele”, disse Conceição. “Na altura, ele arranjou trabalho, em maio e, em agosto, eu vim para a beira dele. Trabalhava numa fábrica e ele era camionista”, descreveu.

Dois dos cinco filhos do casal acompanharam-nos nesta aventura e, atualmente, tem também três netos naquele país. “Eu não trabalho desde 2009, o meu marido trabalhou até 2011. Ainda não fomos de vez para Portugal por causa dos filhos e dos netos que temos aqui, mas o nosso objetivo é voltar, definitivamente”, garantiu.

Em retrospetiva aos quase 50 anos de casados, o casal garante que “todos os momentos vividos juntos foram especiais. Aos meus filhos e netos apenas desejo que tenham uma vida tão feliz como a minha e que encontrem alguém tão especial como eu, para viverem 50 ou mais anos juntos”, concluiu.