Este domingo, dia 26 de março, o Cineclube de Amarante traz até ao público um filme de Luísa Marinho e Luísa Sequeira intitulado “O que podem as Palavras”.

A partir das 18h00, no Cinema Teixeira de Pascoaes, concelho de Amarante, poderá contactar com a história da edição de Novas Cartas Portuguesas das “Três Marias” e conhecer a realizadora Luísa Marinho e a produtora Ana Almeida. 

Publicidade

O Cineclube de Amarante partilha a sínopse do filme retratado pela produtora, Ana Almeida.

O filme é um retrato íntimo das escritoras Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa, que em 1972 publicaram o livro “Novas Cartas Portuguesas”. As famosas “Três Marias” foram acusadas de atentado à moral e o livro foi imediatamente banido pela polícia política do Estado Novo. O impacto livro “Novas Cartas Portuguesas”, teve a nível internacional continua a ser uma história por contar. A partir do projeto transnacional “Novas Cartas Portuguesas 40 Anos Depois”, coordenado pelo Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, o documentário aborda a importância desta obra na sociedade portuguesa da época – pré e pós a revolução de 25 de Abril – e nos países onde foi acolhida e divulgada com manifesto político, literário e feminista. Transgressor e vanguardista, o livro foi ao encontro às aspirações de uma geração. A sua riqueza literária e temática abre-o a múltiplas leituras, que dependem do contexto em que é lido. O documentário quer, por isso, aferir também a atualidade das questões que coloca neste início de século XXI. Contar uma história que se passou há cinco décadas e que só nos últimos anos começou a ser devidamente estudada foi o desafio que Ana Luísa Amaral lançou ao convidar as realizadoras Luísa Sequeira e Luísa Marinho para desenvolver um projeto de documentário a partir das “Novas Cartas Portuguesas”. Esteticamente, e a reboque do próprio livro que mistura géneros literários, o filme explora a polissemia das imagens e diferentes estéticas. Usa imagens de arquivo, fotografias e recorre às animações e ilustrações do artista visual Sama. “Novas Cartas Portuguesas” é uma obra seminal que 50 anos depois continua muito atual. A história não está cristalizada e “O Que Podem as Palavras” é um convite à reflexão sobre o nosso percurso histórico.

Publicidade