A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) marcou presença na sessão de encerramento da primeira fase do DigiBEST – Digital Business EcoSystem Transformation, que decorreu na quinta e sexta-feira, dias 30 de junho e 1 de julho, em Matera, Itália.

O encontro de parceiros foi organizado pela Svilluppo Basilicata SPA – Agência de Desenvolvimento Regional, parceiro italiano deste projeto, depois de três anos do início do projeto e concluída a primeira fase, refere um comunicado da CIM do Tâmega e Sousa.

A agenda da sessão incluiu também a visita a entidades públicas e privadas italianas que são exemplos de boas práticas ao nível do processo de transformação digital e que se revestem de interesse para outras regiões europeias, nomeadamente para o Tâmega e Sousa, pelo seu potencial de replicabilidade no nosso território.

A primeira fase deste projeto europeu na área da promoção da competitividade das Pequenas e Médias Empresas (PME), através da sua transformação digital, foi dedicada “à partilha de experiências e boas práticas de digitalização nas empresas”. Os sete parceiros do DigiBEST voltaram a reunir-se presencialmente para apresentarem os respetivos planos de ação, a implementar na segunda fase do projeto, que vai ter início em agosto deste ano e vai prolongar-se até julho de 2023.

Estes planos têm como objetivo “promover a digitalização e, consequentemente, a competitividade das PME dos territórios abrangidos pelo projeto, bem como dar resposta aos constrangimentos identificados pelas empresas e parceiros durante a primeira fase”.

O plano de ação desenhado pela CIM do Tâmega e Sousa para a região incorpora informação sobre “a forma como as boas práticas e os ensinamentos retirados da cooperação entre os parceiros do projeto nas visitas de estudo realizadas podem ser adaptados e/ou replicados no território, de modo a melhorar o instrumento de política de apoio selecionado pela CIM do Tâmega e Sousa para o acesso ao financiamento das PME para transformação digital – o Plano de Recuperação e Resiliência –, possibilitando às empresas um maior leque de opções de acordo com os investimentos a prover e os objetivos a que se propõem atingir”.

No âmbito do projeto DigiBEST, a CIM do Tâmega e Sousa assumiu a organização da primeira visita de estudo, que decorreu nesta região em dezembro de 2019.

Nesta sessão de encerramento, além da CIM do Tâmega, que esteve representada pelo seu diretor do Departamento de Administração Geral, Sérgio Vieira da Cunha, estiveram também presentes Nelson Duarte, vice-presidente da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto, e João Cunha, do Departamento Financeiro e de Projetos do Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa, dois stakeholders do projeto.

Foto: CIM do Tâmega e Sousa

O DigiBEST é um projeto de cooperação inter-regional para a melhoria da política de promoção da competitividade das PME, cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e pelo Governo da Noruega, através do programa Interreg Europe. O principal objetivo é “promover a competitividade das PME através da sua transformação digital, propondo soluções para aumentar sua capacidade de usar tecnologias avançadas e novas abordagens de negócios inovadoras, traduzindo-se na melhoria do desenvolvimento económico geral e do emprego”.

O projeto DigiBEST é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do programa Interreg Europe, num total de 1,14 milhões de euros. Para além da CIM do Tâmega e Sousa, integram o projeto o Ministério da Proteção Ambiental e Desenvolvimento Regional da República da Letónia, a Universidade da Letónia, a Região de Trøndelag (Noruega), a Svilluppo Basilicata SPA – Agência de Desenvolvimento Regional (Itália), a Província de Granada (Espanha) e a instituição financeira Austria Wirtschaftsservice Gesellschaft (Áustria).