No dia 23 de novembro, o Auditório do Instituto Empresarial do Tâmega, em Amarante, recebeu o segundo Seminário da Unidas – Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima do Douro, Tâmega e Sousa, onde foi debatida a intergeracionalidade da violência doméstica, no seguimento do tema “Como (inter)romper ciclos de violência”.

O presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar, sublinhou que “precisamos de abordar os temas, capacitar os técnicos, alertar as entidades que possam ter uma evolução favorável no sentido de dar confiança à vítima, de que esta pode acreditar no sistema”.

Manuel Albano, vice-presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG), classificou a violência doméstica como “a verdadeira pandemia do século XXI”, cujos números é necessário desmitificar: “hoje em dia, temos 95% do território nacional continental coberto com respostas de apoio às vítimas de violência doméstica, o que demonstra o aumento dos números. Mas não temos muito mais vítimas. Temos é mais vítimas que desocultam aquilo que sofrem, porque, efetivamente, sentem segurança”.

Foto: CIM do Tâmega e Sousa

Cada um dos 11 municípios da região do Douro, Tâmega e Sousa tem estruturas de atendimento em funcionamento desde abril de 2021. Nestes espaços é prestado “um serviço especializado, confidencial e gratuito a vítimas de violência doméstica, assegurando-lhes apoio social, psicológico e jurídico“. Para além disso, este ano, as estruturas alargaram “o apoio psicológico para crianças e jovens vítimas de violência, um mecanismo que é também um importante contributo na interrupção dos ciclos de violência“, acrescenta a CIM em comunicado.

O primeiro-secretário da CIM do Tâmega e Sousa, Telmo Pinto, destacou trabalho desenvolvido em rede pela Unidas: “unidos conseguimos responder melhor às oportunidades e debilidades do nosso território. Por isso, é neste trabalho em rede que podemos ser mais competentes na nossa ação. O aumento dos números é o resultado de um trabalho de proximidade, competente e de confiança que a nossa rede tem construído”.

A Unidas é a primeira rede intermunicipal a ser constituída no país. De abril de 2021 a setembro de 2022, foram acompanhadas 1079 vítimas, 95 delas criança e jovens. No mesmo período, realizou 6693 atendimentos a vítimas de violência doméstica, dos quais 582 foram crianças e jovens.

Foto: CIM do Tâmega e Sousa

O II Seminário da Unidas – Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima do Douro, Tâmega e Sousa foi promovido pela CIM do Tâmega e Sousa, em articulação com o município de Amarante, sendo cofinanciado pelo POISE – Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, Portugal 2020 e União Europeia, através do FSE – Fundo Social Europeu.