A Cercimarante assinou um contrato de investimento para a criação de um Centro de Dia, em Amarante, na freguesia de Louredo.

“A Cercimarante foi uma das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) que assinou, recentemente, em Vila Nova de Gaia, um contrato de investimento, no valor de 346,773.08 euros, e que irá permitir a criação de um Centro de Dia, na freguesia de Louredo, em Amarante, cuja obra terá de ser concluída até 2026, com um custo total de cerca de 430 mil euros”, informa comunicado de imprensa da Cercimarante.

Foto: Cercimarante

O presidente do Conselho de Administração (CA), Carlos Pereira, afirmou que “este Centro de Dia, com capacidade para 30 pessoas, que a Cercimarante pretende disponibilizar, preconiza um serviço de apoio a pessoas idosas com 65 anos ou mais, do concelho de Amarante, com especial enfoque para as residentes nas freguesias de Fregim, Louredo e Vila Caiz, público-alvo que se encontra a descoberto e que, de acordo com os Censos de 2021, totalizam um universo de 1.175 pessoas”, acrescenta nota de imprensa.

A cerimónia de assinatura, divulgação e entrega dos contratos foi realizada em Vila Nova de Gaia e “totalizou 63 projetos nas áreas da Infância, Envelhecimento e Pessoas com deficiência, aprovados para Requalificação e Alargamento da Rede de Equipamentos e Respostas Sociais nos distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Porto, Viana do Castelo e Vila Real, realizou-se com a presença da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, tendo sido assinados os contratos entre o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS) e as entidades promotoras”, termina comunicado.

Foto: Cercimarante

Esta proposta surge no âmbito dos apoios a respostas sociais do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), nomeadamente, a “Tipologia de Operação 1.2 – Requalificação e Alargamento da Rede de Equipamentos e Respostas Sociais”.

Em representação da Cercimarante estiveram presentes o presidente do CA e o vice-presidente, Carlos Pereira e Rui Chantre, respetivamente, e a tesoureira do CA, Susana Mucha e o vereador Adriana Santos.

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.