No dia 9 de abril, foi apresentado, pela Cercimarante, o livro “O Simão aprende a Nutrição”, numa sessão que teve lugar no auditório do Centro Cultural de Amarante (CCA) – Maria Amélia Laranjeira, pelas 17h00. 

O livro “O Simão aprende a nutrição” tem a autoria de Dionísio Carvalho e Nuno Souto Araújo, a colaboração da Cooperativa com ilustrações do cliente Filipe Gomes, e prefácio da Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento que destacou “a escrita simples mas muito cativante” desta obra. 

De acordo com os autores, “de um modo fácil e divertido, Simão – a personagem principal da obra, aprende, com a ajuda da roda dos alimentos e de outros personagens-chave, a importância da prática de uma alimentação saudável, bem como o valor nutricional de cada um dos alimentos”.

O presidente do conselho de administração, Carlos Pereira, explicou que o CA, “estando muito atento” à importância da temática da alimentação saudável, “sobretudo no público infantil”, decidiu convidar dois colaboradores a criar uma história sobre a temática, e um cliente para elaborar as ilustrações, “para que este livro viesse marcar a diferença, alertando e sensibilizando as crianças, desde cedo, e, consequentemente, as mães e os pais, para a necessidade de terem uma alimentação saudável”. O prefácio feito pela Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, trouxe “a segurança de que, a informação transmitida ao público mais jovem era, assim, validada por uma profissional do setor da saúde”.

O livro pode ser adquirido na Loja Social da Cercimarante que se localiza no Mercado Municipal de Amarante e nas Secretarias da Sede e do Centro de Formação e Reabilitação Profissional (CFRP) da Cercimarante, este tem um custo de 10 euros. 

O evento foi marcado pela atuação de dois alunos do CCA, Tiago Silva, aluno do 12º ano do ensino profissional de música, que apresentou um solo de guitarra, e num segundo momento musical, fez um dueto de guitarra com o aluno de flauta Luís Teixeira.

Texto redigido com apoio de Ana Ferrás, aluna estagiária da Universidade Fernando Pessoa