A Câmara Municipal de Celorico de Basto, através do serviço municipal de proteção civil, encontra-se a testar uma nova forma de combate à vespa velutina, vulgarmente conhecida por vespa asiática. A solução permite a destruição de ninhos instalados em pontos mais altos e de acesso dificultado.

Esta  nova tecnologia foi desenvolvida pela Associação de Modelismo do Centro de Portugal – AMCP, uma associação sem fins lucrativos, que desenvolveu este sistema, a pedido de vários municípios para intervenção de ninhos em altura, desenvolvendo um equipamento de carbono para utilização desde o solo. De acordo com um comunicado emitido pela autarquia, esta técnica é já a mais utilizada em Portugal e tem obtido, de forma consistente, nos últimos anos, os melhores resultados no controle desta espécie, com redução continuada de ninhos nos municípios utilizadores. 

A intervenção e destruição de ninhos de vespa velutina, consiste numa intervenção química seletiva e localizada nos ninhos, tendo em atenção as melhores práticas ambientais. Esta técnica tem, não só em atenção a prevenção de não haver qualquer inseticida derramado para o exterior do ninho, mas também a utilização de princípios ativos com uma média de vida muito curta (+/- 12 dias), nomeadamente os biológicos, protegendo assim os outros insetos não alvo, devido ao total controle que o sistema permite. Paralelamente é o único sistema desenvolvido para entrar no sistema de alimentação da colónia, utilizando um atrativo com uma feromona de agregação específica da espécie, com 100% de eficácia comprovada. A intervenção tem ainda, como complemento, um sistema de ar comprimido denominado AirWasp, com um projétil que permite uma intervenção em ninhos em muita altura. 

Este sistema está a ser utilizado por mais de 200 municípios de Norte a Sul de Portugal, com comprovada eficácia. Neste caso, o AirWasp, está a ser utilizado pelos serviços como participação num estudo desenvolvido pela AMCP.

Para Nuno Machado, coordenador municipal de proteção civil “existia a necessidade de melhorar o combate à vespa velutina, pois a queima de ninhos não nos garantia a eficácia pretendida, não havendo redução de ninhos nos sucessivos ciclos de vida da vespa velutina. Sendo uma utopia a eliminação da vespa velutina no nosso país, esperamos com este sistema reduzir significativamente o aparecimento de novos ninhos e com isto aumentar o sentimento de segurança dos celoricenses”.