O município de Celorico de Basto encerrou maio, Mês do Coração, com uma palestra sobre “Doenças Cardiovasculares”, esta terça-feira, dia 31 de maio, no Centro Cultural Marcelo Rebelo de Sousa.

Neste evento participaram médicos especialistas, que abordaram estratégias de prevenção, fatores de risco, sinais e sintomas e o “exemplo como meio e forma de mudar mentalidades para comportamentos saudáveis”.

Foto: Município de Celorico de Basto

Esta ação “integra uma estratégia concertada do município no âmbito da sensibilização com o intuito de mudar comportamentos e, com isso, melhorar a qualidade de vida das pessoas”. “Por isso, trazemos hoje um grupo de especialistas para nos elucidar, esclarecer e ajudar a encontrar o caminho para mudar aquilo que é modificável, com comportamentos que podem fazer a diferença entre uma vida saudável e as muitas doenças cardiovasculares que nos irão comprometer para sempre”, disse o vice-presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, Domingos Teixeira, citado num comunicado da autarquia.

“Nós, enquanto autarquia também temos responsabilidade na promoção de comportamentos saudáveis da nossa sociedade e, por isso, não abdicaremos de incidir sobre estas temáticas”, continuou.

Foto: Município de Celorico de Basto

A palestra foi moderada por Ernesto Martins, médico especialista em Medicina Geral e Familiar e coordenador da UCSP – Unidade de Cuidados Saúde Personalizados de Celorico de Basto e contou com a presença como oradores de Mariana Martins e Francisca Silva, médicas especialistas de Medicina Geral e Familiar.

Os especialistas esclareceram para “o elevado número de óbitos causados por doenças cardiovasculares, com uma taxa global na ordem dos 30%, enfatizando para a prevenção e a adoção de comportamentos saudáveis”. Na mesma sessão marcou presença Rui Rodrigues, médico cardiologista e vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, que falou no tema “estratégias na prevenção das doenças cardiovasculares” e deu enfoque à necessidade educar: “É preciso ter noção do que se deve fazer para ter uma vida saudável”, afirmou, sublinhando “a importância da prevenção”.

Foto: Município de Celorico de Basto

O especialista mostrou dados concretos e estatísticos baseados no Pordata, informando que, em Celorico de Basto, a taxa de óbitos por doenças cardiovasculares “é semelhante à média europeia na ordem dos 30,1%”.

A última intervenção foi efetivada por Victor Sanfins, médico cardiologista no hospital de Guimarães, que incidiu “no papel do médico especialista em cardiologia nas doenças cardiovasculares”. O especialista referiu que “as maiores causas de morte em Portugal são provocadas por neoplasias e por doenças cardiovasculares, destacando-se nesta área a aterosclerose, arritmias, AVC isquémicos, hipertensão arterial, angina de peito, enfarte agudo do miocárdio, fibrilhação auricular, insuficiência cardíaca, morte súbita, aneurisma, miocardiopatias, doença cardíaca isquémica, doença cardíaca congénita… Doenças causadas por múltiplos fatores de risco onde devem ser valorizados os sinais e sintomas como a dor no peito, a fadiga, a dispneia, palpitações, tonturas, cianose, síncope, edemas, hipertensão arterial”. Salientou ainda “a importância da prevenção”: “É preciso cuidar de nós, da nossa máquina e dar o exemplo aos mais jovens, porque o exemplo é fundamental na mudança de comportamentos”.

Foto: Município de Celorico de Basto

A encerrar a sessão esteve a coordenadora da Ação Social e Saúde do município, Helena Martinho, que teceu elogios às técnicas de Enfermagem da Unidade Móvel de Saúde, Joana Teixeira e Daniela Silva, “que têm vindo a fazer um trabalho incansável e louvável em educação para a saúde por todo o concelho”. “Os utilizadores deste serviço são ‘bombardeados’ pela positiva com informações, conselhos e dicas para estilos de vida saudáveis e temos sentido que a nossa comunidade tem acatado o que lhes é dito”, acrescentou.

Foto: Município de Celorico de Basto

Helena Martinho recordou ainda o serviço “Celorico a Mexer”, que o município criou em 2010, direcionado a idosos e pessoas com deficiência, “que promove, uma vez por semana, uma aula de ginástica, orientada por professores/as de Educação Física do município e adaptada ao grupo e às dificuldades de cada um, mas que os ajuda a mexerem-se, a não perder ou a recuperar muitas das faculdades que se vão perdendo ao longo do tempo por falta de atividade”. Referiu ainda que, “agora, o município, com a transferência de competências, terá um papel mais ativo na saúde sobretudo na saúde comunitária, dando continuidade à boa parceria” com os Serviços de Saúde locais.

Ao longo do mês, foram desenvolvidas várias iniciativas, sendo que a autarquia destaca os ensinos à população por todo o concelho na Unidade Móvel de Saúde e a “Heart Run”, corrida e/ou caminhada pelo coração.