A rede Cáritas assinala nos dias 13 a 20 de março a Semana Nacional Cáritas, durante este período a confederação irá promover o Peditório Nacional Público, nas ruas e em formato online, que tem como objetivo reforçar a sua capacidade de resposta a todos os que procuram os seus serviços.

Depois de dois anos de pandemia os voluntários da rede nacional Cáritas voltam a estar presentes nas ruas e centros comerciais para promover ações de angariação e também dar visibilidade e testemunho ao trabalho desenvolvido pela confederação, explica o comunicado lançado pela Cáritas.

“Estamos conscientes de que os próximos anos serão muito desafiantes para todos. Seja a população portuguesa, sejam todos os que estão a chegar devido ao conflito na Ucrânia. A Cáritas quer estar preparada para ter uma resposta e ser esperança para aqueles que contam com a nossa ajuda”, explica Rita Valadas, presidente da Cáritas Portuguesa.

Num país ainda a sair de uma pandemia, a rede nacional Cáritas apoiou perto de 120 mil pessoas em atendimento social, para além de todos os que estão integrados nas respostas sociais e projetos promovidos localmente em todo o país pelas Cáritas Diocesanas. Através do programa nacional de resposta à COVID-19, foram apoiadas 18 mil pessoas.

“Nos últimos anos, atravessávamos um período de uma enorme solidariedade, de um grande empenho no reinventar a proximidade e o cuidado com os mais frágeis. Vivemos experiências que nos marcaram como sociedade e humanidade. O que vivemos não podemos perder agora, particularmente agora”, disse D. José Traquina, presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana.

Para assinalar esta Semana, na Diocese do Porto vai realizar-se o Peditório de Rua, entre os dias 14 e 20 de março.

Texto redigido com o apoio de Sara Ribeiro, aluna estagiária da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.