Pelo segundo ano consecutivo, o Concurso de Melhor Capão Vivo deu a vitória ao senhor António Augusto. O criador de capões de Freamunde venceu com um exemplar de 8,450 quilos. O Concurso decorreu na terça-feira, dia 13 de dezembro, na cidade de Freamunde, integrado na Feira de Santa Luzia. 

Para o vencedor, não se trata apenas de “criar capões e ganhar”, porque quando se vai para um concurso público é preciso que o animal “esteja preparado para isso. É um capão como os outros, capado na mesma altura, só que há alguns que têm uma talha diferente, ou seja, alto e comprido”, começa por explicar em entrevista ao Jornal A VERDADE.

Depois, diz o senhor António Augusto, é preciso “tratá-lo. Andava há um mês a cuidar dele. Está sempre num sítio limpo e come com moderação, porque têm um peso muito grande e podem abafar. Depois soltámo-los num campo de quatro mil metros onde andam todos. À noite não os deixamos entrar tarde, sobretudo, estes que vão para o concurso. Entram entre as 16h30 e as 17h00, para comerem de noite”, acrescenta.

O público presente ficou “admirado e impressionado” com a dimensão do animal, “que já não é um capão, é um peru”, diz em tom de brincadeira o senhor António Augusto. Viveu em França durante 53 anos e foi de lá que trouxe “algumas técnicas” que agora aplica no trabalho da criação de capões.

A XVII Semana Gastronómica do Capão à Freamunde decorreu entre os dias 1 e 13 de dezembro. Este ano contou com 11 restaurantes aderentes: Aidé Paços Ferrera Hotel; Casa de São Francisco Wine Bar; Restaurante São Domingos; Restaurante Al´Capão; Restaurante O Gusto; Restaurante Tapper; Restaurante O Marceneiro; Restaurante A.Rei.A; Restaurante O Tarasco; Restaurante Parrilhada e Restaurante a Presa.

O grande vencedor, do Concurso Gastronómico Capão à Freamunde, foi o Restaurante São Domingos, da cidade de Paços de Ferreira.