O Banco Local de Voluntariado de Celorico de Basto promoveu, nos dias 10 e 11 de dezembro, a campanha de recolha de bens alimentares. Uma ação que contou com a “generosidade” da comunidade e que teve lugar nos espaços comerciais do concelho. 

Presente na ação, o presidente da Câmara Municipal de Celorico de Basto, José Peixoto Lima, contribuiu para a ação, considerando que “todos somos responsáveis por criar condições para que todos tenham uma vida mais digna. Infelizmente, as condições económicas de algumas famílias mostram-se precárias para fazer face às despesas diárias de alimentação, condicionadas por vários fatores e aumentadas pela inflação que se tem vindo a verificar, e são gestos como estes que irão amenizar essas dificuldades e permitir que estas famílias possam sentir um maior conforto”.

José Peixoto Lima garante que “o foco” da sua intervenção são as famílias e, por isso, o município tem vindo “a implementar medidas que ajudem as famílias a ultrapassar as dificuldades”, medidas relacionadas com a parentalidade mas também com a habitação, com a Estratégia Local de Habitação “a decorrer a bom ritmo para que as habitações precárias possam ser reabilitadas e com isso, proporcionar condições dignas de habitação a todas as famílias”.

A iniciativa de recolha de bens alimentares decorreu nos estabelecimentos comerciais do concelho e permitiu restabelecer o stock e com isso “a possibilidade de ajudar as famílias nesta altura tão especial, o Natal”, revelou, a Coordenadora do BLV, Sílvia Cunha. “A população foi, como habitualmente, generosa, conseguimos encher 20 carrinhos de compras, com predominância de arroz, massa e enlatados, mas também leite e outros produtos mais direcionados às crianças”, acrescentou.

O Banco de Local de Voluntariado contou com a colaboração de voluntários, muitos dos quais a participar pela primeira vez em campanhas de solidariedade. Como foi o caso de José Miguel, aluno da Escola profissional e Agrícola Eng. Silva Nunes, que participou por incentivo de um professor, proposta que ele aceitou prontamente. “O Professor perguntou-me se estava interessado em fazer voluntariado, em particular nesta campanha do BLV e eu aceitei prontamente. Está a ser uma experiência diferente, nova, mas muito enriquecedora“.

Os produtos recolhidos serão distribuídos pelas famílias mais vulneráveis do concelho, mediante processo social com prova de rendimentos e despesas, “um procedimento rigoroso para que os bens alimentares cheguem aos mais necessitados”, conclui o município.