A empresa Águas do Douro e Paiva, responsável pelo fornecimento de água “em alta” à Águas do Norte, está a proceder a duas intervenções no concelho de Baião, tendo em vista a ampliação da rede de abastecimento, no valor de 3,71 milhões de euros.

Em causa está a ligação entre o reservatório de Amarelhe e o reservatório de Valadares, assim como a construção de uma nova origem de abastecimento com a construção de uma estrutura de captação de água no rio Douro.

A conduta de ligação à rede em baixa, a partir do reservatório de Amarelhe, vai ser instalada paralelamente à conduta de adução ao reservatório de Valadares, ficando já preparada para a futura ligação à rede de distribuição existente nas localidades de Cedofeita, Eiras e Eirós, na União de Freguesias de Santa Cruz do Douro e São Tomé de Covelas, bem como uma possível expansão futura às freguesias de Viariz e Gestaçô.

Esta intervenção vai “aumentar a fiabilidade do sistema e incrementar a qualidade e quantidade de água para o consumo da população de Baião”, informa um comunicado da autarquia.

Este é um investimento no valor de 1,66 milhões de euros, que contempla a instalação de cinco quilómetros de condutas adutoras para ligação ao reservatório de Valadares, assim como a instalação de dois pontos de entrega para o controlo e quantificação dos caudais transportados a este reservatório e à rede de distribuição da empresa Águas do Norte, que abastece os lugares de Cedofeita, Eiras e Eirós.

No reservatório de Amarelhe, estão também a ser efetuadas intervenções de reabilitação, como pinturas interiores da câmara de manobras, pintura integral das superfícies exteriores das paredes e pintura da escadaria metálica interior.

A conclusão desta empreitada está prevista para julho de 2023.

Além desta intervenção, a empresa Águas do Douro e Paiva está também a proceder a uma empreitada para a criação de uma nova origem de abastecimento, através da construção de uma estrutura de captação de água no Rio Douro, contemplando também a instalação de uma conduta adutora elevatória de água até ao futuro reservatório de Sobreiral, na freguesia do Gôve, a respetiva estação elevatória e uma segunda conduta entre este reservatório e o reservatório da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Pousada.

Esta empreitada vai “permitir aumentar o fornecimento de água para quatro mil metros cúbicos por dia, representa um investimento de dois milhões e 50 mil euros, com um milhão a ser financiado pelo Fundo de Coesão”.

Estes trabalhos têm conclusão prevista para o início do próximo ano.

Para o presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, “a construção destas infraestruturas vai contribuir para uma melhor gestão do sistema de abastecimento, assim como irá permitir um aumento da quantidade de água disponível para fornecimento à população, dado que os pontos de captação existentes já não garantiam água suficiente para se poder servir muito mais pessoas”.

“Alargaremos, assim, a cobertura de rede pública de fornecimento de água que chega, já, a mais de 80% da população. Contudo, para podermos continuar a ter investimentos destes, é fundamental que quem já tem rede de água à sua porta, se ligue”, conclui.