A Câmara Municipal de Baião anunciou que o órgão centenário da igreja matriz de Santa Marinha do Zêzere vai ser restaurado.

A intervenção de conservação e restauro já foi adjudicada e tem um custo de 114 mil euros, financiado a 85% por fundos comunitários, pela medida Património Cultural do Programa Operacional Norte 2020 e em 15% pelo município de Baião.

A intervenção vai ser realizada pela oficina do mestre organeiro Pedro Guimarães.

Foto: Município de Baião

A Igreja Matriz de Santa Marinha do Zêzere é um imóvel classificado como Monumento de Interesse Público e possui no seu património este órgão de tubos histórico da escola de organaria portuguesa.

O órgão é da autoria do mestre organeiro José António de Souza e foi construído na cidade de Braga e instalado na igreja de Santa Marinha do Zêzere no ano de 1793, informa um comunicado da autarquia.

Foto: Município de Baião

“Está inativo há várias décadas, devido ao elevado estado de degradação a que foi sujeito ao longo dos anos, no entanto, trata-se de um elemento artístico de elevado valor patrimonial, histórico e cultural que será recuperado e posto ao serviço da comunidade. A reabilitação deste instrumento musical histórico, único no concelho de Baião, permitirá a dinamização cultural e do culto religioso do imóvel classificado”, conclui o documento.

Foto: Município de Baião

O objetivo é “restabelecer a operacionalidade mecânica e acústica e a recuperar o caráter técnico e sonoro primitivo do instrumento”. Em simultâneo vão ser empreendidas duas empreitadas complementares para a sua recuperação integral, nomeadamente a conservação e restauro da caixa e balcão do órgão e a requalificação das estruturas envolventes: o vão em alvenaria/cantaria onde está instalada a máquina e o compartimento traseiro (a casa-dos-foles).

Foto: Município de Baião

Todos os procedimentos vão ser orientados por critérios de “rigor histórico, científico, musicológico e organológico e as metodologias escolhidas irão conservar e recuperar todo o material histórico consolidado, eliminar e/ou substituir elementos introduzidos em intervenções anteriores de má qualidade técnica, através de técnicas históricas de manufatura da tradição portuguesa de organaria, procurando sempre respeitar o caráter particular do instrumento”.

Além disso, vão também ser realizadas obras de conservação e restauro em toda a igreja, cujo concurso para empreitada se encontra a decorrer, “devendo ser adjudicado em breve”.