O município de Baião anunciou esta sexta-feira, dia 9 de dezembro, algumas medidas que vai implementar no concelho com vista à poupança de energia e de recursos hídricos, no seguimento do que foi aprovado na última reunião do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa.

Neste contexto, a Câmara Municipal de Baião, “que tem vindo a implementar um conjunto de medidas de racionalização”, definiu as seguintes medidas de poupança de água e energia para implementar de forma faseada no concelho, a curto e a médio prazo, de acordo com um comunicado da autarquia:

– Desligar iluminação exterior de carácter decorativo dos edifícios municipais, a partir das 24H00;

– Desligar outdoors digitais a partir das 22H00;

– Iluminação de Natal ligada apenas no horário entre as 18H00 e as 23H00;

– Regulação das temperaturas e horário de funcionamento dos equipamentos de climatização interior dos edifícios municipais;

– Regulação da temperatura ambiente e da água das piscinas cobertas, bem como a colocação das capas térmicas para redução de perdas de energia e água;

– Vistoria periódica e correção da orientação dos dispositivos de água colocados em jardins de forma a eliminar desperdícios de água;

– Substituição de forma progressiva de toda a iluminação exterior e interior dos edifícios municipais por iluminação LED;

– Implementação de sistemas de iluminação mais eficientes através da colocação de sensores de presença/movimento nos edifícios municipais, incluindo piscinas e pavilhões multiusos;

– Substituição de forma progressiva de todas as torneiras dos edifícios municipais por torneiras temporizadoras e redutoras de caudal e sanitas de dupla descarga;

– Reforço da aposta em projetos para utilização de energias renováveis;

– Promoção de ações de capacitação no âmbito do Programa de Eficiência de Recursos na Administração Pública (ECO.AP 2030), visando maior envolvimento, dotação de ferramentas e sensibilidade para temas como a eficiência de recursos, incluindo autoconsumo de eletricidade através de fontes de energia renovável;

– Desenvolvimento, em parceria com a SIMDOURO, um projeto-piloto de reaproveitamento de águas residuais tratadas nas ETAR´S do concelho através da instalação de reservatórios, de forma faseada. Esta água armazenada, servirá depois para fins como lavagem de pavimentos, lavagem de viaturas, regas, entre outros, evitando assim a utilização de água potável.

– Instalação de sistemas de rega gota a gota com sensores de humidade em futuros equipamentos/jardins e/ou aquando da substituição dos sistemas por avarias;

– Promoção da plantação de árvores e arbustos com baixa necessidade de rega, apropriadas ao clima

e tipo de solo, pelos serviços de Espaços Verdes;

– Sensibilização interna dos colaboradores da autarquia e ações de sensibilização à população em geral.

Quanto às medidas já implementadas pela autarquia neste âmbito, fazem parte: a substituição total da iluminação pública por sistema LED e várias medidas de redução do consumo de água, através, por exemplo, da diminuição dos ciclos de rega ou rega em período noturno, em período estival, ou instalação de redutores de pressão pela Águas do Norte.

Os 11 municípios da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa aprovaram a implementação de um conjunto de medidas de eficiência energética, “com vista à redução do consumo de energia na região e, consequentemente, a uma poupança na fatura energética”. As medidas abrangem a iluminação pública, gestão de edifícios, monumentos, espaços públicos e equipamentos municipais, contexto laboral e sensibilização da população.

O presidente da câmara municipal, Paulo Pereira, sublinha que: “a autarquia, em linha com o processo de certificação de Baião como Destino Sustentável e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, estabelecidos pelas Nações Unidas, entende estas medidas como um contributo neste desígnio que a todos importa e para o qual todos somos chamados, ou seja, perante os fortes indícios de escassez, garantir a sustentabilidade energética, bem como dos nossos recursos hídricos”.