A Câmara Municipal de Baião, em parceria com a Cooperativa Dolmen, organiza nos próximos dias 10, 11 e 12 de junho, a Feira Agro Douro Verde que terá como cenário o Mosteiro de Santo Ancede.

A primeira edição da Feira “tem como propósito promover os produtos e as tradições locais, assim como a agricultura, a pecuária, a caça e a pesca”, sublinha o município.

A caça, o arroz de Aba e os produtos da quinta do Mosteiro de Ancede, serão os protagonistas da feira Agro Douro verde, que se juntam às várias iniciativas durante os três dias em que decorre o evento. “Desde Palestras sob as temáticas da vinha e do vinho, da agropecuária e dos recursos cinegéticos, passando por concurso de beleza de cães de caça, desfile de carro de bois ou um peddy paper “A descoberta do Mosteiro”

Haverá ainda animação musical com a Banda Marcial de Ancede, os grupos de concertinas “Foles e Cantares”, “Concertinas do Lameirão”, “Concertinas Joaquim Nogueira”, os grupos “Toka e Dança” e “Barro Negro” e a Tuna “Amigos de São Pedro”.

José Lima Soares, vereador responsável pelo pelouro dos Assuntos Económicos, refere que “esta é a primeira edição deste evento, que temos a certeza se irá afirmar como uma feira de referência na região. Terá uma forte componente agrícola e gastronómica, onde a caça, o arroz de aba e os produtos da quinta estarão em destaque. O propósito principal é dar visibilidade a diversos produtores do território que estarão em exposição e promover igualmente momentos de reflexão, com palestras dedicadas à vinha e ao vinho, à agropecuária e aos recursos cinegéticos, com principal enfoque nos desafios e oportunidades associadas a estes setores de atividade”.

Cristina Vieira, presidente da Dolmen afirmou que “‘Produtos que marcam (as)gentes’ é um projeto âncora transversal inscrito na Estratégia de Eficiência Coletiva, do Programa PROVERE “Turismo para Todos”, que pretende dar corpo a um conjunto de ações e atividades complementares que visam a promoção e valorização de ativos gastronómicos locais, em articulação com outros ativos culturais, patrimoniais e naturais do território alvo, combatendo algumas das fragilidades diagnosticadas para este território, por via da coesão, a identidade, a valorização, a competitividade e capacitação territorial, fomentando desta forma o desenvolvimento económico e social sustentável do território. Pretende-se valorizar cultural e economicamente os produtos endógenos, atribuindo-lhes acrescidos fatores de competitividade”.

O evento tem o apoio da União de Freguesias de Ancede e Ribadouro, da EPAMAC, do Clube de Caçadores de Baião, da Associação de Caçadores e Pescadores de Ovil e Loivos do Monte, da Associação de Caçadores, Pescadores e Proprietários de Ribadouro, da ANCRA – Associação Nacional de Criadores da Raça Arouquesa e da ACRIBAIMAR – Associação de Criadores de Gado de Baião e Marco de Canaveses.