Mais de 230 emigrantes de Baião espalhados pelo mundo participaram no X Encontro Concelhio de Emigrantes, que decorreu na quinta-feira, dia 11 de agosto, em Valadares, no espaço CMR Catering & Eventos.

“Temos muito orgulho em vós. Pelo vosso exemplo de trabalho, de resiliência, de respeito, de dignificação do nome de Baião por esses quatro cantos do mundo. Os emigrantes são verdadeiros embaixadores do nosso concelho. São, por vezes, duplamente estrangeiros. Primeiro, quando emigram para um país estranho. Mas depois, passados muitos anos, quando retornam e se sentem novamente estrangeiros no seu próprio país por também já não conhecerem muitos dos residentes. Saibam que podem contar connosco, com a câmara. Quando vão para o estrangeiro, quando lá permanecem e quando quiserem voltar”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, filho de emigrantes.

O autarca reiterou toda a disponibilidade do Gabinete de Apoio ao Emigrante, informou da intenção de a câmara estar ainda mais presente junto das comunidades emigrantes e deu a conhecer a recente adesão do município de Baião à Rede de Apoio ao Investidor da Diáspora, “voltada para os empresários baionenses que laboram no estrangeiro”.

Aproveitou, ainda, a ocasião para convidar os presentes a visitarem o Mosteiro de Santo André de Ancede, “que dentro de pouco tempo será inaugurado”, oferecendo aos presentes um voucher para realizarem a visita.

Foto: Município de Baião

Ilda Borges, coordenadora do Gabinete de Apoio ao Emigrante (GAE), agradeceu a presença de todos os emigrantes. O vice-presidente e responsável político do GAE, Filipe Fonseca, congratulou-se pela realização de mais um convívio onde todos puderam confraternizar e conviver “em família”. O autarca convidou ainda todos os emigrantes a inscreverem-se no GAE para que “possam estar em contacto permanente com a autarquia e para acompanharem as notícias e as novidades do concelho através das redes sociais do município”.

O encontro contou com a colaboração do pároco Filipe Azevedo, a quem coube a celebração de uma missa.

O Gabinete de Apoio ao Emigrante de Baião funciona desde 2006 e resulta de um protocolo formalizado entre o município e a Direção-Geral de Assuntos Consulares. Os objetivos passam por “informar os emigrantes dos seus direitos nos países de acolhimento e apoiá-los no regresso e reinserção em Portugal, contribuindo para a resolução dos problemas apresentados, de forma rápida, gratuita e personalizada, bem como facilitar o seu contacto com outros serviços da administração pública portuguesa”.