Baião acolheu, até dia 5 de abril, várias famílias ucranianas que abandonaram o seu país devido ao conflito armado que decorre, fazendo um total de 23 pessoas. 

No âmbito da ajuda e do acolhimento, os cidadãos baionenses e as empresas locais contribuíram para a realização de bolsas de alojamento e de acesso à oportunidade de emprego. Além disso, têm também contribuído para a recolha de bens enviados para a Ucrânia e com donativos feitos através da entrega de bens, mas também de dinheiro, para as famílias que chegaram a Baião.

O apoio para a integração dos cidadãos ucranianos está a ser prestado em áreas importantes, tais como a: “disponibilização de alojamento, com o respetivo pagamento de água, luz, gás e internet; disponibilização de bens de primeira necessidade; refeições confecionadas e bens para confeção própria; acesso ao sistema nacional de saúde e a cuidados de saúde primários; obtenção de toda a documentação para poderem beneficiar da Lei de Proteção Temporária de Pessoas Deslocadas – que permite residência legal, integração no sistema de segurança social e no mercado de trabalho; diálogo com os Agrupamentos de Escolas para a integração das crianças ucranianas no sistema educativo; diálogo com o Instituto de Emprego e Formação Profissional e com o Instituto de Segurança Social para a inserção no mercado de trabalho e formação de turmas para aprendizagem do português e obtenção de subsídios”, segundo informação de um comunicado da autarquia.

O acolhimento dos cidadãos ucranianos torna-se possível devido à junção de várias entidades. A Câmara Municipal uniu-se ao organismo público Alto Comissariado para as Migrações, entidade responsável pela coordenação do processo a nível nacional. Para além disso, “ao nível concelhio está a existir uma colaboração entre a autarquia, as corporações de Bombeiros, a Associação Empresarial, as Instituições Particulares de Solidariedade Social, as Juntas de Freguesia, empresas privadas e muitas pessoas da sociedade civil”.

“Verifica-se um forte movimento de solidariedade na comunidade baionense”, refere ainda o comunicado, acrescentando que “a integração destes cidadãos tem sido ainda feita dando-lhes a conhecer o concelho e o seu património natural e cultural, as tradições baionenses e convidando-os a participarem em eventos da comunidade”.

Os canais de comunicação dedicados ao apoio aos cidadãos ucranianos, por parte da Câmara Municipal, são: o número de telemóvel 964 552 329 e pelo e-mail [email protected].

Texto redigido com o apoio de Ana Ferrás, aluna estagiária da Universidade Fernando Pessoa.