Dois anos depois, o Concurso Pecuário de Gado Bovino de Raça Arouquesa regressou à freguesia de Valadares, no município de Baião, com a presença de 74 animais inscritos.

Vindos de vários concelhos, os produtores e o gado de raça arouquesa reuniram-se para uma “atividade que dá bastante trabalho, tem muitos pormenores e questões legais que devem ser garantidas”, assegura António Carneiro, presidente da junta de freguesia de Valadares.

A Feira Franca é o primeiro “grande desafio” do seu mandato e o balanço é “bastante positivo. A questão dos incêndios foi uma grande preocupação durante as últimas semanas, mas conseguimos felizmente reunir todas as condições para realizar o novo concurso pecuário de raça arouquesa, que correu muito bem”, frisa António Carneiro.

Para além do concurso, 170 pessoas foram convidadas para o almoço com o tradicional arroz de aba à moda de Valadares, “o melhor da região”, garante. “Habitualmente servimos este almoço, de forma gratuita, aos produtores, curiosos e amigos da freguesia”.

O presidente da Junta de Freguesia de Valadares destaca a particularidade deste certame que integra as festas da freguesia, em honra de Santiago. As festividades começaram na sexta-feira, dia 22 de julho, e terminam no domingo, dia 24. “As festas contemplam um conjunto de atividades, mas para nós o concurso, o desfile e o almoço são o ponto alto. Durante o ano trabalhamos e dedicamo-nos para chegar a esta altura e oferecermos uma belíssima festa e um bom concurso recheado de bons animais que alegra todos os visitantes”, sublinha o autarca.

Associação ANCRA destaca importância da raça

Uma alegria partilhada por Fernando Moreira, presidente da Associação Nacional dos Criadores de Raça Arouquesa (ANCRA), que “depois da pandemia, de uma guerra e da escassez de água que atravessamos”, enaltece “o facto de o poder autárquico levar a cabo estas iniciativas e ver os agricultores a aderir é, para nós, uma satisfação”.

O presidente da ANCRA engrandeceu mais uma vez a raça arouquesa. “É o nosso património genético e único, porque não há outro igual. São o expoente máximo daquilo que um presidente pode almejar. Em nome de todos os agricultores, é um prazer enorme para todos nós, e para todas as entidades envolvidas”, acrescenta.

Para Fernando Moreira, o Concurso Pecuário de Gado Bovino de Raça Arouquesa e tudo o que o envolve, “é sobretudo, uma forma de manter viva a chama e a tradição”, também pelos mais jovens. “Hoje tivemos a oportunidade de ver muitos jovens, como vemos nos festivais que fazemos. Não quer dizer que vão dar continuidade, mas pelo menos têm isto no seu consciente e nas suas rotinas. Isto é a nossa identidade e, por isso, estes jovens têm de ser estimulados a manter esta tradição“.

Município de Baião enalteceu iniciativa

Normalizar e retomar são as duas palavras-chave no discurso de Filipe Fonseca, vice-presidente do Município de Baião, que realçou “o retomar uma iniciativa que era muito acarinhada na freguesia e em todo o concelho. Com muito esforço, todos os produtores continuaram a acreditar que era possível e hoje cá estão”, frisou.

Filipe Fonseca reforça o papel dos produtores “que tiveram o trabalho em manter a produção e as crias”, mas também do município de Baião “que sem dúvida tem de se associar e estar presente”.

O vice-presidente do Município de Baião não esquece também a “expressão económica” que estes eventos têm na região onde estão inseridos. “Esta é uma tradição que arrasta populações e que traz dinâmica e crescimento”, nomeadamente para os mais idosos “que nestes dois últimos anos passaram muito tempo isoladas. Ver alguns netos a trazer os avós é agradável”, finaliza.

O IX Concurso Pecuário de Gado Bovino de Raça Arouquesa, integrado na Feira Franca de Valadares, em Baião, foi organizado pela Junta de Freguesia de Valadares.