A Associação Empresarial de Penafiel (AEP), em parceria com a Câmara Municipal de Penafiel, regressa com o Concurso Gastronómico “Petiscando”, de 1 a 30 de outubro, em vários estabelecimentos de restauração do concelho.

O evento retorna com o Passaporte Gastronómico, que passa a ser digital através do site e aplicação “Petiscando” e que continua a proporcionar aos clientes a possibilidade de ganhar prémios, “colecionando selos digitais e avaliando os petiscos através da aplicação para telemóveis “Petiscando”.

“A app vai permitir que o cliente tenha acesso à informação de todos os estabelecimentos aderentes e respetivos petiscos e poderá, ainda, fazer a sua avaliação após provar o petisco, pois a validação é dada pelo próprio restaurante através do QR Code do estabelecimento”, informa nota de imprensa da associação.

“O concurso gastronómico será avaliado de duas formas. O júri do público que vai provar o petisco e avaliar, e o júri principal composto por dois elementos da organização e um profissional da área gastronómica, onde a ponderação dos votos será de 25% para os dois primeiros e 50% para o profissional. Este último elemento fará as provas de todos os petiscos ao longo do mês de outubro”, acrescenta AEP.

Outra das novidades é o aumento do número de dias do evento, que resulta em um mês dedicado aos petiscos no concelho de Penafiel.

O presidente da direção da Associação Empresarial de Penafiel, Nuno Brochado, explicou que “o Petiscando é um evento com uma grande margem de crescimento. Temos evoluído em cada edição, e este ano, torná-lo mais digital e abrangente é o objetivo principal. Queremos que a região venha a Penafiel em força, mas também queremos chegar aos amantes da gastronomia do Norte e Centro do país. Durante um mês, com novidades digitais e com um reforço substancial na sua promoção, o concurso será assim organizado para existir uma maior janela temporal para visita aos espaços e conseguirmos mais visibilidade e novos clientes para os mesmos”.

A iniciativa foi criada em 2020 com o objetivo de “apoiar o setor da restauração amplamente afetado pela pandemia da COVID-19”.

O valor do petisco, à semelhança das edições anteriores, não ultrapassa os cinco euros.

Texto redigido com o apoio de Daniela Lenchyna.